Câmara Municipal da Povoação quer reduzir dívida em 2017

Câmara Municipal da Povoação quer reduzir dívida em 2017

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Nov de 2016, 18:37

O presidente da Câmara da Povoação, disse hoje que a redução do valor da dívida é uma das prioridades do orçamento do município para 2017, que totaliza 7,8 milhões de euros.

 

À agência Lusa, o presidente da autarquia, o socialista Pedro Melo, afirmou que a dívida já foi reduzida em cerca de 22 milhões de euros, sendo atualmente de cinco milhões.

Apesar da diminuição da dívida, ainda persiste um “valor elevadíssimo com acordos de pagamentos mensais”, o que se torna "muito complicado, porque não existe tesouraria”, declarou o autarca.

Acresce, além da dívida direta do município, uma outra de dez milhões de euros da empresa municipal Espaço Povoação, responsável por um investimento num complexo de piscinas e no campo de futebol local, que pode ou não ser assumida pela autarquia em função do resultado de um processo judicial que está a decorrer.

Segundo Pedro Melo, o valor do orçamento, aprovado em reunião de câmara na segunda-feira, para o próximo ano é idêntico ao de 2016.

O autarca destacou que o documento assenta em “quatro grandes objetivos” e, além da redução da dívida municipal, pretende “manter reduzidos” os custos de funcionamento, continuar a cumprir os limites de endividamento líquido da Lei das Finanças Locais e o investimento em programas sociais.

O presidente considerou que “ainda se atravessa um tempo de crise”, estando previsto um investimento na área social de cerca de 700 mil euros, à semelhança do valor dos últimos quatro anos.

Pedro Melo pretende ainda desenvolver esta política através do investimento em programas sociais, bem como por via da colocação dos desempregados no mercado de trabalho.

O autarca declarou que o orçamento não contempla nenhum aumento de impostos para os munícipes e empresas do concelho, “mantendo-se os mesmos níveis de 2008”, acrescentando que, no âmbito do quadro comunitário 2014-2020, o município tem um ‘plafond’ de fundos comunitários de sete milhões de euros, pretendendo-se em 2017 avançar com pequenas obras por todo o concelho.

O orçamento foi aprovado pela maioria socialista no município, com o voto contra do vereador do PSD, e vai ser apreciado e votado em Assembleia Municipal, onde os socialistas têm maioria.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.