Câmara Municipal da Lagoa coloca à discussão requalificação da frente marítima

Câmara Municipal da Lagoa coloca à discussão requalificação da frente marítima

 

Lusa / AO online   Regional   22 de Jul de 2017, 11:55

A Câmara da Lagoa está a recolher contributos dos munícipes para o projeto de requalificação da frente marítima de Santa Cruz, um investimento estimado em mais de um milhão de euros e reclamado há mais de dez anos.


"Há mais de uma década que a freguesia de Santa Cruz reclama uma intervenção por parte da autarquia para a zona da baía. É um espaço privilegiado de grande proximidade ao mar", salientou a presidente da câmara, Cristina Calisto, em declarações à agência Lusa.

Na sexta-feira, o município da ilha de São Miguel fez a apresentação pública do projeto de valorização da frente marítima de Santa Cruz que estará em discussão pública durante 30 dias com vista à recolha de sugestões da comunidade.

Cristina Calisto admitiu que ao longo dos últimos anos "não tem sido fácil" encontrar um consenso quanto ao destino a dar àquela zona com grande vocação turística e para a qual chegaram a existir interessados em desenvolver negócios, mas que acabaram por não ser concretizados.

"Dentro das forças vivas da freguesia nem sempre foi fácil encontrar uma orientação unânime e consensual", salientou a autarca, acrescentando que o projeto municipal começa no Rosário, no Portinho de São Pedro, e termina junto à Igreja Matriz de Santa Cruz.

Segundo a autarquia este projeto insere-se num investimento mais amplo e que engloba a requalificação de toda a orla marítima.

"Se o juntarmos ao projeto da ciclovia no Cruzeiro da Lagoa vamos ficar com toda a orla marítima de Rosário e Santa Cruz abrangida por uma intervenção camarária assente na necessidade da mobilidade e num ambiente sustentável", sublinhou.

A presidente da Câmara Municipal da Lagoa referiu que atualmente "há uma orla costeira que não está acessível, nem a carros, nem a pessoas" e o objetivo do município é garantir um percurso pedonal e para bicicletas desde o Cruzeiro, na zona da Atalhada, até Santa Cruz.

"Chegámos a um ponto que não podemos estar a adiar mais uma solução para aquele espaço, porque estamos há mais de uma década a discutir o que se vai fazer na baía de Santa Cruz", declarou.

De acordo com a autarca, o projeto vai apostar na centralidade do espaço para a cidade e para a freguesia de Santa Cruz, criando uma zona de lazer e de convívio para a comunidade, mas também com potencial turístico.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.