Câmara de Ponta Delgada e Governo em "conversações" para construção de nova cadeia

Câmara de Ponta Delgada e Governo em "conversações" para construção de nova cadeia

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Jul de 2014, 07:01

O presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada confirmou hoje que tem mantido conversações com o Governo da República para instalar a nova cadeia da ilha de São Miguel nos terrenos da empresa que gere o parque empresarial do concelho.

“Nós temos mantido conversações com a Secretaria de Estado, que no Ministério das Justiça tem o património e a preocupação da construção do novo estabelecimento prisional”, afirmou aos jornalistas José Manuel Bolieiro, acrescentando que “já foi identificada uma mancha de terreno” considerada boa por ambas as partes.

A construção da nova cadeia de Ponta Delgada é uma reivindicação antiga e que tem gerado muitos protestos sindicais e políticos nos Açores uma vez que o atual edifício do estabelecimento prisional está degradado e tem ocupação sobrelotada.

Após uma audiência com o represente da República nos Açores, o autarca social-democrata adiantou que já foram fornecidos à Secretaria de Estado de Justiça os levantamentos topográficos do terreno e informações sobre as estruturas existentes no local.

“Nós já fizemos uma avaliação sob o ponto de vista financeiro, logístico da qualidade do terreno, bem como o enquadramento que um estabelecimento prisional deve ter. Creio que satisfaz bem todos os interesses e não prejudica verdadeiramente nada, antes pelo contrário, só favorece”, sustentou o autarca, adiantando que as conversações com a República decorrem desde 2013.

José Manuel Bolieiro precisou que as negociações para venda do terreno, propriedade da empresa municipal que gere o parque empresarial de Ponta Delgada (Azores Parque), ainda não se iniciaram, escusando-se a revelar qual o valor em causa.

O Governo dos Açores também já havia disponibilizado um terreno para a construção do novo equipamento.

Perante isso, José Manuel Bolieiro considerou que “não existe choque nenhum”, antes uma “convergência de posições”, justificando que “toda a comunidade judiciário e política” considera que este investimento é “prioritário e deve acontecer no mais curto espaço de tempo possível” para dar maior dignidade aos reclusos.

Em setembro do ano passado, o então secretário de estado Fernando Santo, numa visita a Ponta Delgada, defendeu a construção de um novo edifício para acolher o estabelecimento prisional da cidade e revelou que o presidente da câmara já se tinha disponibilizado para procurar um terreno para esse efeito.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.