Câmara da Ribeira Grande com orçamento de 18,65 ME para 2015

Câmara da Ribeira Grande com orçamento de 18,65 ME para 2015

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Dez de 2014, 16:52

O orçamento de 2015 da câmara da Ribeira Grande, nos Açores, com um valor de 18,65 milhões de euros, mais cerca de 250 mil do que este ano, foi aprovado pela Assembleia Municipal, disse hoje o presidente da autarquia.

“Achamos que é um orçamento bastante realista, que vai ter um elevado grau de execução, porque são efetivamente investimentos que a câmara pode fazer”, afirmou o presidente da autarquia, o social-democrata Alexandre Gaudêncio, em declarações à Lusa, acrescentando que o documento foi aprovado, na noite de quinta-feira, por maioria, com os votos contra do BE e a abstenção do PS.

De acordo com o autarca, a câmara estima "8,5 milhões de euros para despesas de investimento", admitindo que esse valor possa aumentar se "o novo Quadro Comunitário entrar em vigor", pois o município "tem já alguns investimentos para financiamento europeu".

“Se vier esse novo quadro comunitário ficamos com 10,5 milhões de euros de despesas de investimento”, disse.

No próximo ano, uma das grandes apostas da autarquia da costa norte da ilha de São Miguel passa pelo aproveitamento das energias renováveis, de acordo com um projeto para que "o calor geotérmico existente no concelho da Ribeira Grande possa ser utilizado para o uso de agropecuária, com a criação de estufas aquecidas", mas também para aquecimento das piscinas dos bombeiros voluntários e para diminuir os custos das empresas.

“É um investimento que irá representar mais-valias para o concelho, não só por ser o aproveitamento de uma energia alternativa, mas porque irá permitir baixar os custos fixos de empresas do nosso parque industrial, pois o projeto prevê a passagem desta tubagem na zona”, explicou.

Para o próximo ano, a autarquia da Ribeira Grande pretende dar início à construção da ponte sobre a Foz, uma obra que custará 1,15 milhões de euros.

“É um investimento que irá também trazer mais benefícios para a cidade. É um projeto de que já se fala há muitos anos e nunca foi executado. Trata-se de uma obra que esperamos que seja candidatada aos fundos comunitários porque tem a ver com a proteção da orla marítima mas também com o tratamento das águas naquela zona do concelho”, referiu.

Alexandre Gaudêncio frisou ainda que a autarquia pretende implementar projetos nas áreas social e económica e ainda no turismo, acrescentando que "dentro de poucos dias" vai apresentar "o ordenamento do território numa das zonas ex-libris da cidade", o Monte Verde, uma forma de captar cada vez mais investimentos privados e assim também "tentar colmatar o flagelo do desemprego no concelho".

Uma nota divulgada hoje pelo BE justifica o voto contra por considerar que o documento padece de um “economicismo doentio” e que "não espelha reais preocupações económicas, sociais, culturais e ambientais".

O deputado municipal do BE na Ribeira Grande, Luís Carlos Brum, considerou, citado no comunicado, que o orçamento "não vai permitir dar uma resposta capaz e global às enormes necessidades do concelho" e criticou também o facto de "serem disponibilizadas verbas muitos reduzidas para o programa de emergência social".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.