Câmara da Ribeira Grande cede gratuitamente edifício provisório à PSP em Rabo de Peixe

Câmara da Ribeira Grande cede gratuitamente edifício provisório à PSP em Rabo de Peixe

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Jun de 2015, 19:15

A Câmara da Ribeira Grande, nos Açores, anunciou hoje que vai "ceder gratuitamente" à PSP um edifício provisório em Rabo de Peixe para que os agentes, transferidos para o município da Lagoa, regressem à vila "o mais depressa possível".

A autarquia, liderada por Alexandre Gaudêncio, adiantou em comunicado que o espaço alternativo proposto para receber os efetivos da PSP é o Centro de Artes e Ofícios, acrescentando que o imóvel em causa já tinha sido disponibilizado anteriormente.

O autarca da Ribeira Grande, o presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe e o vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande reuniram-se hoje com o comandante regional da PSP, em Ponta Delgada, para abordar o assunto, que tem suscitado polémica.

Desde 19 de junho que a esquadra da PSP em Rabo de Peixe está encerrada, por estar situada num local em risco de derrocada, tendo os agentes sido transferidos para o concelho da Lagoa e a presença policial na vila ficado assegurada através de dois postos móveis 24 horas.

O comando da PSP nos Açores já disse que se trata de "uma medida temporária" até estarem concluídas as obras de adaptação da nova esquadra da PSP de Rabo de Peixe, que ficará nas antigas instalações da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande, após obras de adaptação, tal como prevê o protocolo assinado entre a instituição e a ministra da Administração Interna a 15 de maio.

“Ao disponibilizar imediatamente o edifício a título gratuito à PSP, a Câmara da Ribeira Grande espera que este processo não conheça mais entraves […] e que o regresso da força policial a Rabo de Peixe se efetue o mais depressa possível”, adianta o comunicado da autarquia.

Do encontro hoje realizado resultou a definição das obras de adaptação do edifício da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande na vila piscatória, para “onde transitará a PSP futuramente”.

Segundo o município, só na quinta-feira a PSP indicou as obras necessárias a realizar no imóvel. As intervenções “vão iniciar-se no mais curto espaço de tempo e serão suportadas pelo arrendatário ao abrigo do protocolo celebrado há sensivelmente um mês”.

Recentemente, o presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe, Jaime Vieira, considerou inaceitável que a presença da PSP na vila ficasse reduzida a um posto móvel, frisando que vivem em Rabo de Peixe 10 mil pessoas.

O Governo dos Açores enviou na quinta-feira uma carta à ministra da Administração Interna a manifestar preocupação com a situação da esquadra de Rabo de Peixe e disse-se disponível para contribuir para a “célere reinstalação" da polícia.

Na carta, enviada pela secretária regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Isabel Rodrigues, é transmitida a preocupação do executivo açoriano "perante notícias, já confirmadas publicamente, de que o processo de transferência da esquadra da PSP em Rabo de Peixe para um imóvel, propriedade da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande", naquela vila, "sofre constrangimentos".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.