Cadáver de Yasser Arafat será exumado a 26 de novembro


 

Lusa/AO online   Regional   5 de Nov de 2012, 14:50

O cadáver do antigo líder palestiniano Yasser Arafat será exumado a 26 de novembro, disse esta segunda-feira um diplomata ocidental, que não quis ser identificado, à agência noticiosa norte-americana AP.

A informação foi dada no mesmo dia em que uma equipa do laboratório suíço que deve retirar amostras do corpo de Yasser Arafat se deslocou a Ramallah, na Cisjordânia, para analisar o túmulo do dirigente histórico palestiniano, segundo fontes oficiais palestinianas.

A tese de um envenenamento de Yasser Arafat, cuja morte a 11 de novembro de 2004 num hospital militar na região de Paris nunca foi esclarecida, ganhou crédito após a difusão em julho de um documentário da estação de televisão Al-Jazira.

A televisão do Qatar mandou analisar, no Instituto de Radiofísica de Lausanne, amostras biológicas encontradas nos bens pessoais de Arafat e entregues pela sua viúva, Suha, onde o laboratório suíço descobriu “uma quantidade anormal de polónio”, substância radioativa altamente tóxica.

A análise de amostras do cadáver do líder palestiniano poderá permitir confirmar aqueles indícios.

As autoridades francesas também abriram uma investigação à morte de Yasser Arafat após uma ação apresentada por Suha Arafat.

A equipa suíça, uma das duas que estão a realizar investigações sobre a morte de Arafat, esteve hoje uma hora a inspecionar a sepultura, localizada num mausoléu no exterior da sede do governo palestiniano.

A delegação do Instituto de Radiofísica de Lausanne discutiu “as próximas etapas” com os ministros da Saúde e da Justiça, Hani Abdine e Ali Mhanna, respetivamente, assim como com o chefe da comissão de inquérito palestiniana sobre a morte de Arafat, Taufiq Tiraui, adiantaram as mesmas fontes palestinianas.

A equipa suíça deverá regressar no final do mês para, juntamente com os investigadores franceses, participar na exumação do cadáver.

“A Autoridade Palestiniana decidiu unir os esforços e os trabalhos da comissão palestiniana, dos investigadores franceses e dos especialistas suíços sobre a morte de Arafat e concorda com a abertura do seu túmulo para retirar amostras do cadáver se isso for útil para alcançar a verdade”, declarou Tiraui a 21 de setembro à agência noticiosa francesa AFP.

Não é certo que a exumação resolva o mistério da morte de Yasser Arafat, que muitos no mundo árabe atribuem a Israel. O polónio decompõe-se rapidamente e os especialistas estão divididos sobre se as amostras serão suficientes para o teste.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.