Ambiente

Cachalote não será removido

Cachalote não será removido

 

Helga Mendes   Regional   14 de Jun de 2010, 10:57

A ideia de colocar cal para ajudar a acelerar a decomposição do cachalote que surgiu morto junto à costa na Fajã do Araújo na passada quarta-feira foi abandonada explicou à Açores TSF o professor José Azevedo.
José Azevedo explicou que um animal deste porte pode levar até seis meses a decompor-se totalmente, sendo que neste caso se estima que sejam precisos apenas dois ou três meses até o cachalote desaparecer.

O universitário explicou que de momento apenas se pode esperar que a decomposição se efectue, facto que poderá provocar alguns inconvenientes como o mau cheiro na área e a libertação de pedaços de gordura na água.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.