Cabo Verde adere a campanha das Nações Unidas contra o tráfico de pessoas


 

Lusa/AO Online   Internacional   1 de Ago de 2017, 08:36

Cabo Verde aderiu hoje à campanha das Nações Unidas contra o tráfico de pessoas, numa iniciativa que decorreu na cidade da Praia e durante a qual a representante da ONU defendeu mais apoio às vítimas.

A campanha global "Coração Azul" é uma iniciativa do escritório das Nações Unidas Contra a Droga e o Crime (ONUDC) e pretende consciencializar a sociedade para a luta contra o tráfico de pessoas.

Durante o ato simbólico de adesão à campanha, a coordenadora das Nações Unidas em Cabo Verde, Ulrika Richardson lembrou que nenhum país está imune a este tipo de crime.

Ulrika Richardson sublinhou que a campanha Coração Azul foi criada para "consciencializar as pessoas a nível mundial sobre o problema", considerando que "todas as nações têm responsabilidade de prevenir e combater".

A representante das Nações Unidas defendeu, por isso, mais atenção e mais recursos para identificar e apoiar as vítimas do tráfico humano, bem como ações destinadas a melhorar o sistema de justiça criminal em Cabo Verde, segundo noticiou a agência cabo-verdiana de notícias Inforpress.

Ulrika Richardson-Golinski considerou ser "determinante" que a justiça crie mecanismos para detetar, investigar e processar os responsáveis por estes crimes e congratulou-se com a adesão de Cabo Verde à "Campanha Coração Azul", considerando que o país se insere, desta forma, na mobilização internacional contra este crime.

Por seu lado, a ministra da Justiça de Cabo Verde, Janine Lélis, sublinhou, que "o tráfico de pessoas é um crime grave e de uma violência gritante, mas muito escondido e, portanto, de difícil perceção".

O tráfico de seres humanos provoca milhares de vítimas anualmente, tratando-se em mais de 70% dos casos de mulheres e raparigas.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.