Açores/Eleições

Cabeça de lista do PAN por São Miguel aposta em novo paradigma para fazer política


 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Set de 2016, 05:55

O cabeça de lista do PAN, pelo círculo de São Miguel às eleições regionais dos Açores, Pedro Neves, afirmou que o projeto do partido assenta num novo paradigma de fazer política.

 

“O partido acredita numa sociedade com cidadãos mais confiantes e informados, logo, com essa informação, as pessoas são mais livres para participar crítica, ativa e construtivamente num novo paradigma onde a não violência seja uma matriz e não uma pontualidade ou sinal de fraqueza”, disse Pedro Neves à agência Lusa.

O candidato do PAN sublinhou a mensagem ambientalista que o partido quer levar até ao eleitorado, alegando que esta força partidária “não tem concorrência”, porque as suas propostas “não são faladas pelos outros partidos".

Pedro Neves defendeu que “o modelo do crescimento atual só é rentável na condição” de atender à natureza, às gerações futuras, à saúde dos consumidores e às condições do trabalho dos assalariados.

“A Terra não é nossa. Temos de ter isto em conta. É um empréstimo enquanto estamos cá. Temos de devolver o testemunho para as gerações seguintes, mas com os recursos naturais intactos”, declarou.

Segundo este responsável, veem-se “políticas insustentáveis”, exemplificando com a “indústria leiteira” e “o fim das quotas leiteiras", preconizando a autossustentabilidade da região com "uma agricultura biológica" e a restrição no "acesso a produtos herbicidas e pesticidas".

O candidato, também porta-voz do PAN nos Açores, acrescentou que o partido pretende deixar uma mensagem de confiança junto do eleitorado para que os cidadãos possam "confiar novamente nos políticos".

O cabeça de lista propõe exclusividade para os deputados durante o exercício da legislatura e "um pedido de nojo de dez anos para que não haja promiscuidade entre um cargo político e um cargo a nível privado".

A adoção de medidas urgentes para impedir a prática da pesca e da caça ilegal em zonas protegidas dos Açores são outras das propostas do PAN que quer, também, “o incremento do consumo de produtos de origem local e de produção em modo biológico”.

Segundo Pedro Neves, o PAN não se revê na categorização esquerda-centro-direita, apresentando, em contrapartida, “um projeto direcionado para todas as pessoas, defendendo valores que são transversais a todos os movimentos políticos e sociais”.

Pedro Neves, que é também cabeça de lista do PAN pelo círculo de compensação, assegurou que a cada dia é notório um apoio crescente do eleitorado às propostas do partido, acreditando que, face a esse apoio, é possível alcançar a eleição, pela primeira vez, de deputados para o parlamento regional.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.