Buzinão do PS em Câmara de Lobos cancelado devido à "fraca afluência" da população

Buzinão do PS em Câmara de Lobos cancelado devido à "fraca afluência" da população

 

Lusa / AO online   Nacional   1 de Dez de 2012, 10:59

A concelhia do PS de Câmara de Lobos decidiu cancelar o buzinão que havia programado para hoje no centro daquela cidade devido à "fraca afluência da população", disse à Lusa o responsável, Amândio Silva.

 

A iniciativa tinha por objetivo protestar pelo estado degradado das estradas municipais do concelho, "devia ser um buzinão significativo, mas como teve pouca afluência, a decisão foi cancelar", adiantou.

Amândio Silva justifica a falta de participação das pessoas que costumam reclamar por causa do mau estado das estradas com a "conjuntura económica, visto que muitos estão desempregados, e o afastamento que sentem dos partidos, que consideram ser 'todos iguais'".

"Esta não era uma luta de um partido, era uma iniciativa para defender um direito da população, mas as pessoas não entenderam assim. Não consegui galvanizar este efeito e assumo a responsabilidade", declarou o responsável socialista de Câmara de Lobos.

Amândio Silva adianta que "não vai baixar os braços, pois existem outras formas de luta".

"Agora vamos refletir e ver o que fazer", concluiu.

Também os dirigentes socialistas da freguesia do Porto da Cruz, no concelho de Machico, realizaram uma iniciativa para protestar contra o "abandono" a que aquela localidade está votada pela câmara e o Governo Regional.

"Neste momento, o Porto da Cruz, além de abandonado está a servir de vazadouro de terras e lixo produzido em Machico e vários outros concelhos", disse o coordenador do PS no Porto da Cruz, José Manuel Sebastião, numa ação partidária

Para este responsável, "o Porto da Cruz parece estar a sofrer das sete pragas do Egito", apontando que "a câmara municipal eleita há 12 anos não fez nenhuma obra e o Governo Regional, nos últimos anos de promessas só executou 10% do programa".

"O Porto da Cruz não quer ser mais abandonado, nem ser um vazadouro de terras, quer ser uma freguesia de pleno direito do concelho de Machico", concluiu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.