União Europeia

Bruxelas quer melhorar e controlar a eficácia dos fundos estruturais e de coesão


 

Lusa/AO online   Economia   10 de Nov de 2010, 17:19

A Comissão Europeia quer aumentar o controlo e melhorar a eficácia da forma como são gastos os fundos estruturais e de coesão, o dinheiro comunitário que é gasto na redução das disparidades entre regiões ricas e pobres dos 27.
O executivo comunitário publicou esta quarta-feira o quinto relatório sobre a coesão económica, social e territorial que, segundo a instituição, demonstra que a política de coesão da UE “deu um contributo significativo para o crescimento e a prosperidade, bem como para a promoção de um desenvolvimento equilibrado na União”.

No entanto, tendo em conta os desenvolvimentos económicos e sociais substanciais nos últimos anos, a política de coesão tem agora de lidar com novos desafios.

No contexto mais amplo da revisão do orçamento da UE, o relatório sublinha que os investimentos na futura política de coesão devem ser estreitamente alinhados pelos objectivos da Estratégia Europa 2020, a estratégia de modernização do tecido económico e social dos 27 para os próximos 10 anos.

O documento propõe ainda a introdução de condições "muito mais rigorosas", bem como "incentivos para assegurar a utilização eficaz" dos fundos destinados à política de coesão e uma maior concentração nos resultados.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.