Bruxelas quer certezas sobre emissões para recuperar credibilidade do setor automóvel

Bruxelas quer certezas sobre emissões para recuperar credibilidade do setor automóvel

 

Lusa/AO online   Economia   1 de Out de 2015, 17:30

A Comissão Europeia afirmou que a recuperação da credibilidade no setor automóvel exige certezas quanto às emissões de gases na Europa, numa referência às manipulações de testes feitas pela Volkswagen nos Estados Unidos.

 

Em conferência de imprensa, a comissária para o Mercado Interno, Indústria, Empreendedorismo e Pequenas e Médias Empresas, Elzbieta] Bienkowska, afirmou que para "recuperar a credibilidade, terá que se ter certezas acerca de toda a indústria automóvel europeia".

"Temos que ter a certeza que está tudo bem com a emissão de gases", afirmou a responsável após o Conselho da Competitividade, prevendo que a recolha de informação "ainda dure algumas semanas" e que Bruxelas "será muito firme caso encontre alguma coisa, alguma fraude".

Para Elzbieta] Bienkowska, têm que ser rapidamente "estabelecidos os factos em todos os Estados-membros" e trabalhar no processo "com transparência".

"Devemos isso aos consumidores, e os nossos fabricantes de automóveis também precisam", disse.

Elzbieta] Bienkowska lembrou não haver por agora qualquer prova de manipulação de testes na Europa: "os factos reais que temos são os que se passaram nos Estados Unidos".

A Volkswagen provocou na semana passada a indignação mundial quando admitiu que 11 milhões de carros a diesel em todo o mundo estão equipados com os chamados dispositivos de descativação que ativam controlos de poluição durante os testes de emissões poluentes, mas automaticamente os desligam quando o carro está em condução.

Na última sexta-feira, após uma maratona de reuniões de crise, o Conselho de Supervisão da líder de mercado mundial de automóveis designou o presidente da Porsche, Matthias Mueller, para substituir Martin Winterkorn como presidente executivo do grupo alemão.

As autoridades alemãs estabeleceram um cronograma até 07 de outubro, exigindo ao grupo Volkswagen que garanta até essa data que todos os carros a gasóleo cumpram as normas nacionais de emissões sem usar a tecnologia que defraudou os resultados dos testes.

Entretanto, a empresa Volkswagen informou hoje que a investigação independente que encomendou poderá levar "vários meses".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.