Braga ganha vantagem sobre o Sevilha com golo solitário de Matheus

 Braga ganha vantagem sobre o Sevilha com golo solitário de Matheus

 

Lusa/AOnline   Futebol   18 de Ago de 2010, 21:10

Um golo solitário de Matheus (62) deu ontem uma importante vitória ao Sporting de Braga sobre o Sevilha (1-0), na primeira mão do play-off de acesso à Liga dos Campeões de futebol
A equipa portuguesa vai a Sevilha, na próxima terça-feira, sem grande folga, mas com a mais valia de não ter sofrido golos no Estádio AXA, o que permite abordar a segunda mão com esperança no apuramento inédito para a fase de grupos.
Segundo as estatísticas oficiais da UEFA, o jogo terminou com 60 por cento de posse de bola para o Sevilha e 40 por cento para o Braga (66/34 no final da primeira parte), mas a equipa minhota teve mais remates e mais cantos e, se na primeira metade o Sevilha foi superior, no segundo tempo o Braga equilibrou.
Os jogadores da equipa bracarense entraram algo nervosos, efeito talvez de se ter ouvido pela primeira vez em Braga o hino da Liga dos Campeões, e logo aos 05 minutos o Sevilha podia ter aproveitado para inaugurar o marcador.
O extremo direito Navas escapou-se a Elderson – naquela que seria uma jogada recorrente ao longo de todo o jogo -, centrou para Luís Fabiano que cabeceou ao poste.
Os espanhóis assumiram desde cedo as despesas de jogo com trocas constantes de bola e “asfixiando” o meio-campo bracarense que se ressentia, também, da infeliz actuação de Luís Aguiar.
Apesar disso, o Sporting de Braga podia ter chegado ao golo poucos segundos antes do intervalo, num passe de Alan a isolar Matheus, mas Palop fez bem a mancha. O reatamento ficou marcado por uma situação caricata: o Sporting de Braga reiniciou a partida com dez jogadores já que o árbitro, obrigado a respeitar o horário de jogo, não esperou pela substituição de Miguel Garcia por Sílvio.
Já com 11, o Braga apanhou dois sustos, mas Navas (50) e Capel (57) remataram ao lado, e foi mesmo a equipa da casa a chegar ao golo (62): excelente centro de Sílvio da direita, Paulo César cabeceou para grande defesa de Palop e, na recarga, Matheus, também de cabeça, não perdoou.
O Braga mandava na partida perante um Sevilha desorientado e em duas ocasiões criou muito perigo obrigando Palop a intervir com atenção.
O técnico espanhol tardou em mexer e só através de Navas ia tentando criar situações de perigo, mas sem grande sucesso.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.