Liga Sagres

Bracarenses voltam a colar-se ao Benfica

Bracarenses voltam a colar-se ao Benfica

 

Lusa/Aonline   Futebol   14 de Fev de 2010, 20:54

O Sporting de Braga alcançou a nona vitória em 10 jogos em casa ao bater o Marítimo (2-1), na 19ª jornada da Liga Sagres de futebol, e reduziu para um ponto a diferença em relação ao Benfica
A primeira parte foi repartida, mas muito pobre em termos futebolísticos e com raras situações de golo e a primeira situação de perigo surgiu aos 15 minutos e para a equipa da casa: canto da direita de Luís Aguiar e Paulão a cabecear nas alturas com a bola a sair a rasar a barra.
O Marítimo respondeu pouco depois (20), também na sequência de um canto, tendo Robson, de cabeça, obrigado Eduardo a uma grande defesa impedindo o golo do Marítimo.
No segundo tempo, o Marítimo entrou com Pitbull (48) e Kléber (49) a criarem algum perigo mas, aos 51 minutos, surgiu o primeiro golo do Sporting de Braga.
Lançamento largo de Hugo Viana da meia esquerda, Alan, em esforço, conseguiu centrar e Meyong apenas teve que encostar, de cabeça, para o fundo da baliza de Peçanha.
Pouco depois, Domingos Paciência trocou Meyong, sem aparentar qualquer lesão, por Matheus, e aos 61 minutos, um “balde de água gelada” abateu-se sobre os cerca de 30 000 espectadores. Djalma “disparou” de muito longe, depois de ter deixado Olberdam no chão, e Eduardo tentou desviar a bola com os olhos, mas viu-a entrar nas suas redes.
O técnico “arsenalista” voltou a mexer na equipa colocando desta feita Adriano na frente de ataque e retirando Diogo Valente (lesionado), e aos 72 minutos o ponta de lança desperdiçou uma boa oportunidade para desfazer o empate cabeceando à figura de Peçanha.
O Braga tentava o tudo por tudo e Alan (76) tentou de longe para uma grande defesa do guardião maritimista.
Aos 81 minutos surgiu o lance do jogo: Filipe Oliveira rompe pela direita - erro do árbitro assistente porque a bola saiu totalmente e não assinalou o lançamento lateral -, a jogada seguiu até a bola sobrar para Luís Aguiar que, na cabeça da área, rematou de pronto, sem hipóteses para Peçanha.
Já em período de descontos (90+1), Diakité ainda assustou, mas Eduardo segurou uma preciosa vitória para a luta, não assumida, pelo título dos homens orientados por Domingos Paciência.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.