Bloco vai propor na AR apoio suplementar à tripolaridade da academia dos Açores

Bloco vai propor na AR apoio suplementar à tripolaridade da academia dos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Out de 2014, 13:15

A deputada do BE/Açores no parlamento regional anunciou hoje que a sua força política vai apresentar na Assembleia da República uma proposta que visa um apoio suplementar à tripolaridade da academia açoriana.

“Vamos ter na Assembleia da República, no contexto do debate e da aprovação do Orçamento do Estado, uma proposta do nosso grupo parlamentar para esse mesmo orçamento, no sentido de haver um apoio suplementar e uma discriminação positiva à tripolaridade da Universidade dos Açores”, declarou Zuraída Soares.

A parlamentar, que esteve hoje reunida com a Associação Académica da Universidade dos Açores, declarou no final do encontro aos jornalistas que a tripolaridade “não é um capricho”, um “esbanjamento de dinheiros públicos”, mas sim um “absoluta necessidade” numa região como os Açores.

Zuraída Soares revelou ainda que, no âmbito das iniciativas parlamentares a desenvolver, pretende aperfeiçoar no parlamento dos Açores, a sua proposta, que data de há dois anos, de uma bolsa para estudantes.

“As condições que foram impostas pela maioria parlamentar (PS) para que ela fosse aprovada, tornaram-na perfeitamente inócua, ou seja, os critérios são tão difíceis de atingir que, até hoje, só três estudantes da Universidade dos Açores solicitaram a bolsa e nenhum deles teve direito a ela”, declarou a deputada do BE/Açores.

Zuraída Soares frisou que a bolsa está “escondidinha” há dois anos no sítio do Governo Regional, para acentuar que nenhum estudante consulta aquela plataforma quando tem necessidade, mas recorre sim aos serviços de ação social da academia açoriana.

A parlamentar declarou que as alterações a introduzir passam por alargar a abrangência da bolsa a alunos com o estatuto de estudante-trabalhador que perderam o seu posto de trabalho devido ao desemprego, bem como a alunos que integrem agregados familiares desfavorecidos.

“Contamos com a sensibilidade e com a boa vontade da maioria parlamentar do PS/Açores para ver se em dezembro, esta nossa bolsa, com as alterações que agora nós propomos, possa, de facto, responder a tantas centenas de alunos que passam necessidades, que não têm condições de trabalho, nem dentro desta casa nem fora, e cujos agregados familiares não têm capacidade financeira para responder às suas exigências”, disse Zuraída Soares.

A deputada do Bloco na Assembleia Legislativa Regional dos Açores considerou, por outro lado, que a sociedade e os órgãos de governo próprio da região, de forma particular, “têm a obrigação de valorizar” e de “defender a Universidade dos Açores”.

“A região, os contribuintes açorianos, têm a necessidade de investir aqui (Universidade dos Açores) através do Governo Regional e diferentes protocolos, para garantir a sobrevivência desta instituição e a qualidade de ensino a que todos os estudantes que aqui estão têm direito, porque pagam por ela, através das propinas”, defendeu.

Zuraída Soares considera “justas” as reivindicações feitas pelos alunos, algumas das quais têm merecido uma resposta favorável por parte da reitoria da academia.

Referindo-se especificamente ao pagamento das propinas, a parlamentar considera que por mais que a reitoria da Universidade dos Açores pretenda justificar a “penalização” com o programa de recuperação financeira a que a academia está sujeita, “não o consegue”.

Zuraída Soares apelou ao reitor da Universidade dos Açores, com o qual não reuniu hoje por “razões de agenda” de João Luís Gaspar, para ter em consideração a “penúria e carência” ditados pela crise, com que são confrontados os alunos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.