Blatter e Platini suspensos por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol

Blatter e Platini suspensos por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol

 

Lusa/AO Online   Futebol   21 de Dez de 2015, 11:13

O suíço Joseph Blatter, presidente demissionário da FIFA, e francês Michel Platini, que lidera a UEFA, foram suspensos por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol, anunciou hoje o Comité de Ética da FIFA.

 

Em comunicado, o comité da FIFA, que na semana passada ouviu Joseph Blatter e os advogados de Platini – que se se recusou a comparecer -, indica que a sanção “entra imediatamente em vigor” e tem “âmbito nacional e internacional”.

Blatter, reeleito em maio para um quinto mandato na presidência da FIFA ao qual acabou por resignar dias mais tarde, foi ainda condenado ao pagamento de uma multa de 50.000 francos suíços (cerca de 46.000 euros).

Platini, que com esta decisão fica impedido de avançar com a sua candidatura à presidência da FIFA, foi punido com uma multa de 80.000 francos suíços (cerca de 74.000 euros).

Na base das suspensões está o facto de o comité ter considerado que o pagamento de uma verba de dois milhões de francos suíços (cerca de 1,8 milhões de euros) feito pela FIFA, após autorização de Blatter, a Platini “não tem base legal no acordo que ambos fizeram em agosto de 1999”.

“Nem na sua declaração escrita, nem na sua audiência” Blatter conseguiu demonstrar “outra base legal” que justificasse o pagamento, refere o comité, acrescentando que as “alusões a um acordo verbal foram rejeitadas, por não serem convincentes”.

O comité entendeu que Blatter, de 79 anos, “não mostrou uma atitude ética, não cumpriu as regras e regulamentos da FIFA e evidenciou abuso de poder”, factos que violam o artigo 13 do código de ética da FIFA, relativo a regras de conduta.

O organismo considera que o com o pagamento a Platini violou o artigo 20 do código, relativo à oferta e recebimento de presentes e outros benefícios, e o artigo 19, que se refere a conflitos de interesses.

“Ao não colocar em primeiro lugar os interesses da FIFA, não se abstendo de atitudes contrárias a esses interesses, Blatter violou os seus deveres de lealdade ao organismo”, indica o comunicado.

Em relação a Platini, o comité referiu não ter encontrado provas de que o presidente da UEFA tenha recebido a verba a troco de trabalhos executados, o que viola o artigo 21 do Código, relativo a subornos e corrupção.

O documento acrescenta que a conduta de Platini, que lidera a UEFA desde 2007, viola os artigos referentes a recebimento de presentes, conflito de interesses, lealdade e regras de conduta.

Blatter e Platini já estavam suspensos por 90 dias, devido a esta investigação, desde 08 de outubro, data em que o secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, também foi suspenso, igualmente por implicação no escândalo de corrupção que atinge a instituição.

A decisão do Comité de Ética da FIFA é passível de recurso, tanto de Blatter como de Platini, para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) e para a justiça civil suíça.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.