Birdman conquista quatro Óscares incluindo o de Melhor Filme

 Birdman conquista quatro Óscares incluindo o de Melhor Filme

 

Lusa/AO Online   Cultura e Social   23 de Fev de 2015, 05:39

Birdman foi o grande vencedor da noite dos Óscares, conquistando quatro estatuetas, incluindo a de Melhor Filme e Melhor Realizador.

O "Grand Budapest Hotel" conseguiu também quatro prémios de categorias mais técnicas, enquanto o drama musical "Whiplash" conquistou três, incluindo o de Melhor Ator Secundário para J.K. Simmons.

O galardão de Melhor Ator foi para o britânico Eddie Redmayne pela sua interpretação do astrofísico Eddie Redmayne em "A teoria de tudo", enquanto Julianne Moore conquistou a estatueta para Melhor Atriz pelo seu papel em "O meu nome é Alice".

Alejandro González Iñárritu, o segundo mexicano a conseguir, de seguida, o Óscar para Melhor Realizador depois de Alfonso Cuaron com "Gravity" no ano passado, dedicou o prémio aos seus compatriotas, desejando que sejam tratados com "dignidade e respeito" nos Estados Unidos.

Apesar de favorito, "Boyhood", um filme realizado ao longo de 11 anos e que acompanha o crescimento da personagem principal da infância até à idade adulta, só conquistou um dos seis prémios para que estava nomeado, entregue a Patricia Arquette, distinguida Melhor Atriz Secundária.

"Big Hero 6 - Os novos heróis", de Don Hall e Chris Williams, venceu o Óscar para Melhor Longa-metragem de Animação, com a primeira adaptação animada da Disney para o grande ecrã sobre as bandas desenhadas da Marvel.

"Citizenfour", da jornalista Laura Poitras, sobre as denúncias de Edward Snowden, conquistou o Óscar de Melhor Documentário de Longa-Metragem, uma categoria também disputada pelo fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado com "O sal da terra".

O filme polaco "Ida", sobre uma jovem freira que descobre um segredo de família que remonta ao tempo da ocupação nazi, venceu o prémio de Melhor Filme Estrangeiro.

Os Óscares foram apresentados pelo ator Neil Patrick Harris, numa cerimónia marcada pelos comentários políticos. Patricia Arquette apelou à igualdade salarial para mulheres e homens nos Estados Unidos e o músico John Legend, que recebeu um prémio pela canção "Glory" do filme "Selma", criticou a descriminação racial no país.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.