Belenenses derrota Benfica no Restelo

Belenenses derrota Benfica no Restelo

 

Lusa/AO   Futebol   15 de Dez de 2007, 20:25

O Benfica perdeu hoje (1-0) frente ao Belenenses, no Estádio do Restelo, em jogo da 13ª jornada da Liga de futebol, em que o colectivo de José António Camacho revelou incapacidade ofensiva
Um golo solitário de Weldon, aos 70 minutos, acabou por impor a derrota e revelar a fragilidade no ataque do Benfica, que volta a perder pontos para o FC Porto, que também actua esta noite frente ao Vitória de Guimarães e que pode alargar a distância para os "encarnados" caso pontue.
A equipa do Benfica acabou o encontro com uma frente de ataque com três elementos, mas, já depois de ter sofrido o tento do Belenenses, apenas dispôs de uma oportunidade soberana, com Cardozo (desta vez, ficou em branco) a permitir a defesa de Marco.
No resto, o suor dos jogadores do Benfica apenas resultou em alguns fogachos que a defesa "azul", com maior ou menor dificuldade, foi resolvendo, mesmo recorrendo a alívios pouco ortodoxos.
José António Camacho efectuou seis alterações relativamente à equipa que actuou frente à Académica, na Taça de Portugal, promovendo os regressos de Quim, David Luiz, Katsouranis, Rui Costa, Maxi Pereira e Cristian Rodriguez.
Com Nuno Gomes no banco, a equipa recuperou o sistema de um ponta-de-lança, o paraguaio Cardozo, com três unidades a pisarem terrenos atrás, com Rui Costa a destacar-se mais no arquitectar de acções ofensivas do que os alas Maxi Pereira e Cristian Rodriguez.
O técnico do Belenenses foi fiel ao mesmo dipositivo táctico e apresentou também um onze com alterações, as mais profundas no sector defensivo, mantendo somente o guarda-redes Marco Gonçalves e o central Rolando relativamente ao jogo com o Paços de Ferreira.
Empenhado em preencher bem os espaços e a reduzir a acção dos "encarnados", o Belenenses entrou bem no jogo e obrigou o Benfica, incapaz de se estender no terreno, a correr atrás da bola.
No entanto, embora tenha chegado mais vezes ao último terço do terreno do que os benfiquistas, Quim apenas travou um remate à baliza aos 42 minutos, protagonizado por Rúben Alvim.
O Belenenses até criou uma mão cheia de situações para finalizar, a mais flagrante por intermédio de Silas, que, solto no coração da área rematou deficientemente quando estava em posição privilegiada.
Do lado contrário, também Marco Gonçalves não teve de aplicar-se, uma vez que os remates do Benfica foram escassos e apenas nos minutos finais, com o "maestro" Rui Costa a empunhar a batuta no colectivo.
Depois do intervalo, o Benfica começou o jogo como tinha acabado nos cerca de dez minutos do primeiro tempo, mas sem criar situações de desequilíbrio na defesa do Belenenses, sem se acercar do último reduto do colectivo de Camacho.
O treinador espanhol resolveu recuperar o sistema de dois elementos entre os centrais, colocando Nuno Gomes ao lado do inoperante Cardozo, e dar outra mobilidade ao sector intermédio com Di Maria, fazendo recuar Rui Costa para o miolo do terreno, mais à frente de Petit.
Sem entusiasmar, a equipa deu mostras de querer balancear-se mais no ataque e abriu espaços a meio-campo, permitindo que o Belenenses lançasse o seu futebol rápido, acabando por obter o golo, num lance de Weldon a tirar superiormente Luisão do caminho e a rematar, em arco, para a baliza.
A verdade é que a atitude mais ofensiva que o Benfica necessitava para chegar à baliza contrária apenas se verificou depois de se ver em desvantagem e com a entrada de Fredy Adu, que alargou a frente de ataque para três elementos.
Na procura do prejuízo, o Benfica lançou-se no ataque e mesmo Luisão desceu muito vezes à área do emblema de Belém, que aproveitou o facto da formação "encarnada" desarticular-se e colocar em sobressalto Quim e seus pares.
Com esta vitória, o conjunto de Jorge Jesus interrompeu um ciclo de cinco empates consecutivos na Liga e voltou a vencer, o que não acontecia desde a sétima jornada, no Bessa, em que infligiu uma pesada derrota ao Boavista, por 4-2.
O Belenenses não vence no Estádio do Restelo desde 30 de Setembro, altura em que ganhou ao Paços de Ferreira (1-0), precisamente o adversário que eliminou os azuis na quarta eliminatória da Taça de Portugal, no sábado.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.