Política

BE denuncia tratamentos desiguais na Interrupção Voluntária da Gravidez

BE denuncia tratamentos desiguais na Interrupção Voluntária da Gravidez

 

Olímpia Granada   Regional   27 de Jul de 2010, 11:06

 A datação da gravidez não está a ser feita às mulheres encaminhadas pelo Hospital do Santo Espírito, na ilha Terceira, para a realização de uma Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) na unidade hospitalar da Horta.
A denúncia é feita pelo Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) que, através de requerimento entregue na Assembleia açoriana, pede explicações ao Governo, até porque as mesmas são feitas às mulheres encaminhadas pelo Hospital do Divino Espírito Santo apesar dos médicos obstetras e ginecologistas também serem objectores de consciência.

O BE lembra que as mulheres que optam pela IVG até às 10 semanas, em conformidade com a Lei, só podem na Região realizar a intervenção no Hospital da Horta, Faial.

Por isso, tendo em conta que o médico que certifica em atestado médico a realização da IVG deverá ser distinto do profissional de saúde que efectivamente a realiza, e considerando que a consulta prévia pode ser feita por um médico ou outro profissional habilitado, os bloquistas questionam também o facto das consultas prévias não serem realizadas nem na Terceira nem em São Miguel, quando as consultas pós-IVG podem ser efectuadas em outras unidades de Saúde dos Açores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.