BE/Açores reúne-se em convenção regional no sábado em Ponta Delgada

BE/Açores reúne-se em convenção regional no sábado em Ponta Delgada

 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Jul de 2016, 14:23

O BE/Açores reúne-se em convenção regional no sábado, em Ponta Delgada, com a presença da líder do partido, Catarina Martins, e na agenda críticas ao Governo Regional, do PS.

 

À agência Lusa, a coordenadora do Bloco de Esquerda nos Açores Lúcia Arruda afirmou que a convenção, “muito virada para a próxima batalha política, as eleições regionais”, a 16 de outubro, será também um momento de “crítica à atuação do Governo Regional”.

Lúcia Arruda, que divide a coordenação do BE/Açores com Paulo Mendes, apontou a este propósito indicadores que colocam os Açores nos últimos lugares em áreas que vão desde a educação ao desenvolvimento regional, e à coesão social e territorial.

“É contra esta política que nos insurgimos”, declarou, defendendo um “novo rumo que acabe com as desigualdades sociais gritantes que existem na região”, resultado da “má gestão do bem público feito pelo PS nos últimos anos”.

Lúcia Arruda referiu que o executivo açoriano “tem vindo a proclamar” recorrentemente “as contas equilibradas da região”, perguntando “à conta de quem”, para referir, logo de seguida, que o “aumento do PIB não quer dizer distribuição de riqueza” e apontar os números do desemprego.

“Há 20 mil desempregados, mais de cinco mil pessoas, especialmente jovens, em programas ocupacionais”, referiu, acusando o Governo Regional de ser “promotor do trabalho precário”.

Considerando que a região tem rendimentos do trabalho e pensões “extremamente baixos”, a dirigente destacou que se deve a isso o facto de os Açores terem “a maior utilização do Rendimento Social de Inserção”.

“O BE há anos que vem defendendo o aumento para os idosos que recebem pensões abaixo do salário mínimo de 15 euros mensais”, o que daria cerca de oito milhões de euros anuais, valor que foi gasto na derrapagem “numa obra de uma escola pública”, sustentou.

Para o Bloco, “o Governo Regional está a desviar-se dos princípios socialistas e anda numa deriva neoliberal” que o partido quer combater.

Sustentando que o “aprofundamento da autonomia” não tem a ver com cargos mas com políticas, Lúcia Arruda disse ser necessário reivindicar da República uma nova “revisão do estatuto político-administrativo para aumentar as competências da região” relativamente a tratados internacionais, e na gestão e exploração do território marítimo.

O estatuto provisório dos Açores foi publicado a 30 de abril de 1976 e o definitivo a 05 de agosto de 1980. Já foi revisto por três vezes (1987, 1998 e 2009).

A V Convenção Regional do BE/Açores começa às 11:00 (mais uma hora em Lisboa) e termina ao final do dia, depois da apresentação de cabeças-de-lista por vários círculos eleitorais às regionais e com o discurso da coordenadora do Bloco, Catarina Martins.

Nas últimas eleições regionais, em outubro de 2012, o BE elegeu um dos 57 deputados da Assembleia Legislativa dos Açores, onde o PS tem a maioria.

O Bloco assinou um acordo com o PS em novembro passado, viabilizando assim na Assembleia da República o Governo minoritário do Partido Socialista


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.