BdP vai convidar Lone Star para "aprofundar negociações" para aquisição do Novo Banco

BdP vai convidar Lone Star para "aprofundar negociações" para aquisição do Novo Banco

 

Lusa/AO Online   Economia   5 de Jan de 2017, 06:44

O Banco de Portugal anunciou hoje, em comunicado, que a Lone Star é a entidade mais bem colocada para comprar o Novo Banco e vai convidá-la para um "aprofundamento das negociações".

 

“O Banco de Portugal, no cumprimento do seu mandato relativamente ao processo de venda do Novo Banco, concluiu com base nos elementos disponíveis nesta data que o potencial investidor Lone Star é a entidade mais bem colocada para finalizar com sucesso o processo negocial tendente à aquisição das ações do Novo Banco e decidiu convidá-lo para um aprofundamento das negociações”, refere o BdP, num comunicado enviado e publicado na página da Comissão do Maercado de Valores Mobiliários.

Na nota, o Banco de Portugal sublinha que, no “momento atual”, a proposta do potencial investidor Lone Star é a que mais assegura a estabilidade do sistema financeiro e o reforço da confiança no futuro do Novo Banco.

Mas, salienta o Banco de Portugal, “apresenta condicionantes, nomeadamente um potencial impacto nas contas públicas, que se procurarão minimizar ou remover no aprofundamento das negociações que agora se iniciam”.

“Esta nova fase de negociações com o potencial investidor Lone Star não exclui a melhoria das propostas dos restantes potenciais investidores que entregaram propostas no âmbito dos dois procedimentos de venda – Procedimento de Venda Estratégica e Procedimento de Venda em Mercado - e que já mostraram disponibilidade para o fazer”, acrescenta o Banco de Portugal.

O Novo Banco foi criado no início de agosto de 2014 na sequência da resolução do Banco Espírito Santo (BES).

Em 03 de agosto de 2014, o Banco de Portugal tomou o controlo do Banco Espírito Santo (BES), depois de a instituição ter apresentado prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades distintas.

No chamado 'banco mau' ('bad bank'), um veículo que mantém o nome BES, ficaram concentrados os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas.

No 'banco bom', o banco de transição designado de Novo Banco, ficaram os ativos e passivos considerados não problemáticos.

Em dezembro de 2015 foram prolongadas as garantias estatais ao Novo Banco e a data limite para a sua venda foi estendida, por acordo com a Comissão Europeia, até agosto de 2017.

A instituição financeira está em processo de venda. Entre os concorrentes estão os fundos chinês China Minsheng e norte-americanos Lone Star e Apollo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.