Conferência

Bastonário dos Técnicos Contas critica "desresponsabilização" na vida pública

Carregando o video...

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Out de 2011, 11:23

O bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) criticou a “desresponsabilização” na vida pública em Portugal, contestando, nomeadamente, a forma como o presidente do Governo madeirense tem abordado a situação financeira na Região.
Na sessão de abertura em Ponta Delgada da terceira conferência do ciclo “Portugal, a soma das partes”, promovida pela OTOC, Domingues Azevedo sustentou que as declarações de Alerto João Jardim sobre a dívida da Madeira devem “perturbar” por revelarem uma “desresponsabilização” com consequências para os cidadãos.

O bastonário da OTOC sustentou, porém, que face às dificuldades actuais é expectável que os portugueses passem a reivindicar contra a “irresponsabilidade, incompetência e aventureirismo”.

Ao fundamentar a necessidade de mudanças na gestão financeira do país, Domingues Azevedo sublinhou que Portugal “não há hoje nem orçamento nem conta pública”, mas “um emaranhado de valores dispersos que ninguém controla e a que ninguém responsabiliza”.

O bastonário do OTOC questionou também a inexistência de técnicos de contabilidade na administração pública, realçando a “resistência” à mudança por parte dos funcionários, empenhados em manter as suas “quintinhas”.

Domingues Azevedo considerou ainda que em Portugal o “valor da cidadania nem sempre tem tido força para se opor ao ‘chico-espertismo”, factor que alegou explicar as “deficiências estruturais” do país.

Entre os participantes na conferência em Ponta Delgada do ciclo “Portugal, a soma das partes”, que já esteve em Faro e Aveiro, estiveram dois antigos secretários regionais das Finanças, Álvaro Dâmaso e Roberto Amaral.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.