Política

Barroso recusa responsabilidade do seu governo na situação do país

Barroso recusa responsabilidade do seu governo na situação do país

 

Lusa/AO Online   Nacional   9 de Dez de 2012, 14:01

Durão Barroso rejeitou hoje responsabilidade do seu governo na grave situação financeira a que Portugal chegou e deixou em aberto um regresso à vida política portuguesa depois de terminar o mandato como presidente da Comissão Europeia.

“No ano em que eu concluí o meu mandato [de primeiro-ministro português, em 2004], conseguimos por o défice nos valores desejados, a menos de 57 % do PIB, (…) E agora, quando Portugal pediu o programa, estava em 107% do PIB. Alguma coisa se passou”, disse José Manuel Durão Barroso em entrevista à SIC. “Portanto, há responsabilidades, e temos de as assumir como país, mas atenção: não foi o meu governo que criou esta situação muitíssimo grave”, acrescentou. Questionado sobre se pretende regressar à política ativa em Portugal depois de terminar o segundo mandato como presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso assegurou que não tomou “nenhuma decisão” e recusou “fazer especulações”. “O futuro a Deus pertence. Há muitas coisas que não dependem de nós e, sobretudo, não podemos ter a pretensão de controlar o futuro”, afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.