Banif vai recorrer à Justiça devido aos danos irreparáveis causados pela TVI


 

Lusa/AO Online   Economia   15 de Dez de 2015, 18:38

O Conselho de Administração do Banif garantiu que, apesar do esclarecimento hoje feito pela Direção de Informação da estação televisiva TVI relativamente a notícias recentes sobre o banco, vai avançar para os tribunais devido aos danos provocados pelas mesmas.

"A TVI vem agora pedir desculpa aos seus espectadores bem como aos clientes, trabalhadores e acionistas do Banif, desmentindo as notícias infundadas que desde domingo tem vindo a divulgar", lê-se na nota enviada pelo Banif à comunicação social, que adianta que o grupo financeiro vai recorrer à Justiça.

"O Conselho de Administração do Banif reitera que tudo fará para fazer valer na justiça os danos irreparáveis causados ao Banif, pela forma irresponsável e deontologicamente reprovável como, sem qualquer preocupação pelo apuramento da verdade, publicaram afirmações erradas com graves consequências para a atividade do banco", informou a entidade liderada por Jorge Tomé.

Esta reação do Banif surgiu poucas horas depois de a TVI ter publicado no seu sítio eletrónico um esclarecimento, no qual lamenta que a notícia relativa ao banco que divulgou em rodapé na emissão da TVI24 (o canal de informação do grupo) no domingo à noite "não tenha sido totalmente precisa e esclarecedora", podendo "ter induzido conclusões erradas e precipitadas sobre os destinos daquela instituição financeira".

O primeiro-ministro, António Costa, está hoje a receber os líderes parlamentares na sua residência oficial, em São Bento, para analisar a situação financeira no Banif, disse à agência Lusa fonte oficial do Governo.

A mesma fonte não adiantou mais pormenores sobre a série de reuniões requeridas pelo primeiro-ministro com os líderes parlamentares dos diferentes partidos, que se iniciou ao final da tarde.

Estas reuniões acontecem depois de o Banco de Portugal, em comunicado, ter referido que, em articulação com o Ministério das Finanças, "está a acompanhar a situação do Banif, garantindo, como é da sua competência, a estabilidade do sistema financeiro, bem como a segurança dos depósitos".

O supervisor financeiro adiantou no mesmo comunicado que, "tal como foi revelado pelas autoridades nacionais, europeias e pelo Conselho de Administração do Banif", o plano de reestruturação do banco "está a ser analisado pela Comissão Europeia e, em paralelo, está a decorrer um processo de venda internacional da instituição financeira conduzido pelo Conselho de Administração".

Na segunda-feira, ao início da madrugada, o Ministério das Finanças, também numa nota à comunicação social, salientou que está a acompanhar a situação do Banif, após a divulgação de notícias a dar conta de que o Estado se prepara para aplicar uma medida de resolução na instituição financeira.

"O plano de reestruturação do Banif, tal como é de conhecimento público, está a ser analisado pela DG Comp [Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia]. Paralelamente, decorre um processo de venda do banco nos mercados internacionais conduzido pelo seu Conselho de Administração. O Governo acompanha, como lhe compete, a evolução destes processos", acrescentava-se nesse comunicado do Ministério das Finanças.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.