Bancos menos restritivos na concessão de crédito

Bancos menos restritivos na concessão de crédito

 

Lusa/AO online   Economia   19 de Jan de 2016, 11:35

Os bancos estão menos restritivos na concessão de empréstimos a empresas e particulares e antecipam um aumento da procura de crédito no primeiro trimestre de 2016, por parte das PME e dos particulares, para habitação e consumo.

Segundo o inquérito aos bancos sobre o mercado do crédito, hoje divulgado pelo Banco de Portugal (BdP), "a pressão exercida pela concorrência, a perceção dos riscos com a situação económica geral e o mercado de habitação, em particular, bem como o menor custo de financiamento e de restrições de balanço, contribuíram para reduzir ligeiramente o nível de restritividade na concessão de empréstimos a empresas ou particulares".

Os cinco grupos bancários incluídos na amostra indicaram uma redução dos 'spreads' (margem de lucro do banco) aplicados nos empréstimos de risco médio, quer a pequenas e médias empresas (PME) quer a grandes empresas, e algumas instituições reportaram uma ligeira descida dos 'spreads' aplicados nos empréstimos para compra de casa ou para consumo.

Para o primeiro trimestre de 2016 não se antecipam alterações significativas nos critérios de concessão de crédito às empresas, mas duas instituições preveem adotar critérios ligeiramente menos restritivos no crédito à habitação e uma outra estima uma evolução idêntica no que respeita ao crédito ao consumo.

Alguns bancos antecipam um aumento ligeiro da procura de empréstimos ou linhas de crédito por parte de PME e nos empréstimos de curto e de longo prazo, perspetivando-se igualmente um ligeiro aumento da procura no segmento dos particulares.

No quarto trimestre de 2015, duas instituições reportaram um aumento ligeiro da procura por parte das empresas e a maioria dos bancos registou um aumento da procura de empréstimos à habitação e para consumo.

Neste período, a proporção de pedidos de empréstimos rejeitados a empresas manteve-se inalterada face ao trimestre anterior, enquanto no segmento dos particulares houve uma ligeira diminuição para um banco.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.