Banca e EDP puxam Bolsa para o vermelho


 

Lusa/AO online   Economia   12 de Dez de 2007, 17:03

A Euronext Lisboa fechou  em queda, em contraciclo com as congéneres europeias, com o PSI 20 a descer 0,24 por cento, para 13.061,73 pontos, pressionado por banca e EDP.
      Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 14 desceram, cinco subiram e um ficou inalterado, numa sessão de forte liquidez.

    Pela positiva destaque para Galp Energia, PT Multimédia e Sonae.

    Do lado negativo referência para BPI, EDP, Altri e BCP.

    A Europa viveu uma sessão positiva, invertendo a tendência de queda que tinha a meio da sessão depois de a Reserva Federal norte-americana (Fed) ter anunciado um plano com um conjunto de medidas que visa fazer face às "elevadas pressões" sobre a liquidez nos mercados no curto prazo.

    Entre as subidas mais acentuadas ficaram títulos de telecomunicações como Vodafone e France Telecom, petrolíferas como Royal Dutch Shell, Total e BP, e bancos como Crédit Agricole e HBOS.

    A E.ON, a ArcelorMittal, a Basf e a Unilever fecharam também entre os maiores ganhos.

    Nas quedas referência para bancos como Royal Bank of Scotland, UBS, Société Générale, ING, Fortis e Intesa.

    O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou em alta de 0,47 por cento, para 3.800,96 pontos, e o Euronext 100 somou 0,21 por cento, para 1.001,06 pontos.

    As valorizações nas congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre os 0,08 por cento de Madrid e os 0,83 por cento de Frankfurt.

    Madrid fechou em queda de 0,19 por cento.

    Na Euronext Lisboa a maioria dos títulos terminou a sessão no 'vermelho', destacando-se pela positiva a Galp Energia.

    A energética liderou as valorizações no PSI 20, ao progredir 4,14 por cento, para 15,36 euros, tendo durante a sessão ter atingido novo máximo de sempre nos 15,7 euros, depois a UBS ter afirmado que nos poços próximos de Tupi, onde a Galp também detém uma participação, poderão existir reservas petrolíferas muito superiores.

    A REN perdeu 1,07 por cento para 3,71 euros e a EDP desvalorizou 1,92 por cento para 4,6 euros, corrigindo em baixa dos recentes ganhos acumulados.

    A banca teve um dia negativo, acompanhando a tendência do exterior, com BPI a protagonizar a maior queda do dia ao recuar 2,33 por cento para 5,44 euros, BES a deslizar 0,63 por cento para 15,8 euros e BCP a descer 1,37 por cento para 2,88 euros.

    O maior banco privado português foi o título mais negociado com 26,3 milhões de acções trocadas.

    A Portugal Telecom caiu 0,22 por cento para 9,2 euros, enquanto a PT Multimédia progrediu 1,49 por cento para 9,51 euros, no dia em que apresentou o seu plano estratégico até 2010.

    A Brisa fechou positiva, a somar 0,1 por cento para 10,04 euros.

    No universo Sonae, a casa-mãe subiu 0,99 por cento para 2,04 euros, a Sonaecom ficou inalterada nos 3,8 euros e a Sonae Indústria deslizou 0,93 por cento para 7,48 euros.

    Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 83,4 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 402,4 milhões de euros.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.