Aviões que transportam Francisco com escolta de F-16 em espaço aéreo nacional

Aviões que transportam Francisco com escolta de F-16 em espaço aéreo nacional

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   5 de Mai de 2017, 12:28

Os aviões que transportarão o papa de Roma para Portugal e no regresso à capital italiana, serão escoltados por dois caças F-16, dentro do espaço aéreo nacional, disse fonte da Força Aérea Portuguesa (FAP).

 

O papa aterra a 12 de maio na Base Aérea n.º5 (BA5), em Monte Real, Leiria, num Airbus da companhia Alitalia, proveniente de Roma. Após as celebrações do 13 de maio, Francisco regressa à BA5, de onde descola de regresso a Roma, desta vez a bordo de um avião da TAP.

Outra das missões da responsabilidade da FAP é o transporte de duas viaturas do Vaticano, incluindo o papamóvel, e de outro material no âmbito da visita papal, "de Roma para Portugal e regresso", a bordo de um avião de carga C-130, previsto ocorrer durante o início a próxima semana.

Além do dispositivo e das medidas permanentes para assegurar o comando e controlo do espaço aéreo, serão aplicadas pela FAP e pela Autoridade Aeronáutica Nacional, "medidas excecionais" nos locais de passagem e permanência de Francisco e dos peregrinos, nos dias 12 e 13 de maio, durante a peregrinação do papa ao santuário de Fátima.

Um dessas medidas é a restrição do espaço aéreo.

"[As medidas excecionais] passarão pela criação de áreas de exclusão aérea, implementação de medidas restritivas à operação de voos VFR (Visual Flight Rules/Regras Voo Visual) na vizinhança dessas áreas, implementação de medidas com eventual impacto na utilização do espetro eletromagnético e a operação de um sistema anti-drone", explicou a FAP, em resposta escrita enviada anteriormente à Lusa.

O sistema anti-drone visa inibir o recurso a frequências eletromagnéticas (que permitem ao operador manobrar o drone) e, assim, impedir a utilização destes equipamentos por particulares durante a visita papal.

A FAP vai empenhar os meios disponíveis em permanência "ao serviço de Portugal e dos portugueses", mas também os que decorrem do seu envolvimento "mais direto na visita apostólica", nomeadamente um helicóptero Alouette III.

Nestes meios aéreos incluem-se também os caças F-16, sediados na BA5, utilizados na defesa do espaço aéreo nacional, e que estão em alerta permanentemente.

A FAP vai ainda disponibilizar dois helicópteros EH-101 para o transporte do papa e do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, da BA5 para o santuário de Fátima.

Em comunicado entretanto divulgado o Estado Maior General das Forças Armadas (EMGFA) refere que o EH-101, em alerta permanente a partir da Base Aérea n.º6, no Montijo, será deslocado para a BA5 "garantindo uma maior prontidão, em caso de necessidade".

Segundo o EMGFA, haverá o "reforço das capacidades sanitárias existentes na zona da BA5, com meios complementares aos do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica), incluindo apoio do Hospital das Forças Armadas", localizado no Lumiar, em Lisboa.

A nota diz que estará ainda disponível, "em caso de necessidade e se solicitado, o hospital de campanha do Exército para apoio à operação, como meio de redundância e complementar aos meios do INEM", e apoio na área NBQR (Nuclear, Biológico, Químico e Radiológico).

A FAP vai também disponibilizar meios aéreos com vista a garantir a segurança nos locais de presença e de passagem de Francisco e dos peregrinos, para apoio à cobertura televisiva da visita, além do "empenhamento de meios aéreos em apoio direto às forças de segurança".

Francisco será o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio, e vai presidir ao centenário das "aparições" na Cova da Iria.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.