Avião "Solar impulse 2" descolou da China para cumprir fase mais perigosa de viagem

Avião "Solar impulse 2" descolou da China para cumprir fase mais perigosa de viagem

 

Lusa/AO Online   Internacional   31 de Mai de 2015, 12:55

O avião movido a energia solar,

Nesta etapa, o piloto suíço, André Borschberg, estará seis dias e noites consecutivos sozinho aos comandos para atravessar o oceano Pacífico, até aterrar no Havai.

O “Solar impulse 2” descolou às 02:40 locais de domingo da cidade de Nanjing, no leste da China, onde se encontrava desde 21 de abril.

A partida foi adiada várias vezes devido a condições meteorológicas adversas, nomeadamente na última terça-feira devido ao céu nublado sobre a cidade chinesa e o mar do Japão.

O “Solar Impulse 2” nunca voou sobre um oceano e apenas se manteve a voar no máximo 24 horas, pelo que esta travessia do Pacífico é um desafio tecnológico e um feito histórico da aviação.

André Borschberg, de 62 anos, terá que cumprir uma distância de 8.500 quilómetros, que fará com sonos de 20 minutos, estando o seu assento equipado com um sistema de higiene.

Todos os dias, o piloto vai enfrentar altitudes de cerca de 28.000 pés (8.400 metros) e 55 variações de temperatura, numa cabine não pressurizada, segundo a agência noticiosa AFP.

Em caso de falha grave no voo, o suíço terá de ejetar-se de paraquedas no oceano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.