Avião desapareceu depois de pedir para "desviar" a rota


 

AOnline/LUSA   Internacional   28 de Dez de 2014, 10:37

O piloto do A320 da Air Asia que desapareceu hoje dos radares entre a Indonésia e Singapura, que operava o voo QZ8501, pediu para "desviar" o plano de voo devido às más condições meteorológicas, indicou a companhia aérea.

Um porta-voz dos Transportes indicou que o piloto do Airbus 320-200, que voava a cerca de 32 mil pés de altitude (9,76 quilómetros), pediu permissão para subir até aos 38 mil pés (11,59 quilómetros), segundo o diário local Jakarta Globe.

O porta-voz precisou que este pedido foi feito às 06:12 hora local, menos de uma hora depois de descolar de Surabaya, na ilha de Java.

A AirAsia confirmou o pedido e que este se deveu ao mau tempo. Só depois disso é que a comunicação com o avião se perdeu.

A comunicação com o avião foi perdida quando ainda estava sob o Controle de Tráfego Aéreo da Indonésia”, acrescentou a Air Asia.

"O voo da AirAsia que partiu de Surabaia para Singapura perdeu contacto com Jacarta às 07:24 (23:24 em Lisboa), disse.

O avião partiu do aeroporto internacional de Juanda, em Surabaia, no leste de Java, às 05:20 (21:20 de sábado em Lisboa) e deveria chegar a Singapura às 08:30 (00:30 em Lisboa).

Um Boeing 737 da Força Aérea da Indonésia, seis navios e três helicópteros participam na operação de busca e resgate.

A zona de buscas centra-se na ilha de Belitiung e as águas em seu redor.

“Primeiro vamos supervisionar a zona e se encontrarmos um objeto, então contactaremos com a Agência Nacional de Busca e Resgate. Suspeitamos que o avião desaparecido pode estar nessas águas”, declarou ou porta-voz da Força Aérea, Hadi Tjahjanto.

O diretor geral do transporte aéreo da Indonésia, Djoko Murjatmodjo, disse à AFP que o avião – um A320 – transportava sete tripulantes e 155 passageiros - 138 adultos, 16 crianças e um bebé, atualizando os números anteriormente divulgados de que estariam 161 pessoas a bordo.

A televisão indonésia Metro TV informou que 149 dos passageiros têm nacionalidade indonésia, três são coreanos e os restantes são um britânico, um malaio e um nacional de Singapura.

Murjatmodjo disse que as buscas estavam concentradas numa área entre a ilha Belitung e Kalimantan, na parte ocidental da ilha do Bornéu, a cerca de meio caminho da rota esperada do voo QZ8501.

“Estamos a coordenar com as equipas de busca e à procura da sua posição. Acreditamos que [o aparelho] estará algures entre” Tanjung Pandan, uma localidade na ilha de Belitung e Kalimantan, afirmou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.