Avaria nos tanques de salmoura impede atuneiros de descarregar no porto da Horta

Avaria nos tanques de salmoura impede atuneiros de descarregar no porto da Horta

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Jul de 2017, 17:34

Os tanques de salmoura do entreposto frigorífico do porto da Horta, nos Açores, estão inoperacionais, situação que tem impedido os atuneiros da região de descarregar bonito na ilha do Faial.

 

O caso foi denunciado por Pedro Capela, da Direção da Associação de Produtores de Atum e Similares dos Açores (APASA), em declarações aos jornalistas, por considerar que a situação começa a ser preocupante para o setor, que se vê privado de refrigerar cerca de 30 toneladas de atum (bonito) por dia.

"Face às quantidades de bonito que estão a aparecer, começamos a ficar preocupados", justificou Pedro Capela, recordando que depois de um período de ausência de atum dos mares dos Açores, "o peixe está a aparecer", mas "é preciso ter agora capacidade", em terra, para o armazenar.

A Direção da APASA diz que já alertou a Lotaçor, a empresa de lotas dos Açores que gere os entrepostos frigoríficos, para a falta de condições de refrigeração de atum no porto da Horta, e diz que em resposta, foi-lhe dito que os atuneiros deviam ir descarregar para Ponta Delgada.

"Isso traz-nos dois problemas: o primeiro é a capacidade do entreposto de Ponta Delgada, que é só de 20 toneladas/dia; o outro problema, tem a ver com o facto de o peixe se encontrar a norte do Faial e dos barcos terem de fazer uma viagem de 150 milhas até São Miguel para descarregarem, e terem de regressar (mais 150 milhas), para voltarem a encontrar o pescado", lembra Pedro capela.

Segundo explicou, estes constrangimentos já se arrastam há, pelo menos, dois anos, e já foram denunciados esta semana, em reuniões realizadas entre a Direção da APASA e os deputados do PS e do PSD à Assembleia Legislativa dos Açores, eleitos pela ilha do faial.

Contatado pela Lusa, Rúben Farias, administrador da Lotaçor, explicou que os tanques de salmoura do entreposto frigorífico do porto da Horta estão inoperacionais, não devido a nenhuma avaria, mas porque já chegou ao fim o tempo de vida útil daquele equipamento.

"Nós já temos o projeto concluído para recuperação de toda a estrutura", garantiu o administrador da empresa de lotas do arquipélago, recordando que só agora é que a obra está pronta a arrancar, porque só nos finais de 2016 é que ficou disponível a candidatura do projeto a fundos comunitários.

Segundo explicou, a obra deverá iniciar-se no final desta safra, para permitir que os túneis de congelação do entreposto frigorífico possam ser, entretanto, utilizados pelos atuneiros, mesmo com os tanques inoperacionais.

A administração da Lotaçor reconhece, mesmo assim, que o problema está a provocar constrangimentos ao setor, mas lembra que os restantes entrepostos frigoríficos nos Açores "têm capacidade para congelar cerca de 120 toneladas de atum por dia".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.