Autoridades não identificaram ainda presumíveis membros da ETA detidos em Portugal

Autoridades não identificaram ainda presumíveis membros da ETA detidos em Portugal

 

Lusa / AO online   Nacional   10 de Jan de 2010, 13:02

As autoridades ainda não conseguiram identificar os dois presumíveis membros da organização separatista basca ETA detidos sábado em Portugal, disse hoje o ministro da Administração Interna.

"Ainda não foi possível identificar os suspeitos nem a sua nacionalidade, porque foram detidos com documentos de identificação falsos", disse Rui Pereira, em Mirandela, à margem de uma visita às obras da nova esquadra da PSP na cidade.

Segundo o ministro, estão a ser desenvolvidas - em articulação com as autoridades espanholas - as diligências para identificar os dois suspeitos.

Os suspeitos, um homem e uma mulher, entraram em Portugal pela fronteira de Bemposta (Mogadouro), e a fuga prolongou-se por várias dezenas de quilómetros até Torre de Moncorvo, no sul do distrito de Bragança, onde foram capturados.

A operação ocorreu entre as 22:00 e as 24:00 de sábado, depois de a Guarda Civil espanhola ter interceptado uma carrinha carregada de explosivos em Bermillo de Sayago, Zamora, próximo da fronteira com o Nordeste Transmontano, conduzida por um dos detidos.

Rui Pereira adiantou que os dois presumíveis terroristas já foram entregues à Polícia Judiciária - "o orgão de polícia competente para investigar crimes de terrorismo" - e estão a ser transportados para Lisboa.

"Este processo desenrola-se ao nível das autoridades judiciais, começando desde logo pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP). Serão então as autoridades judiciárias a encarregar-se de decidir qual é o futuro destes suspeitos, que deverá passar pela extradição para Espanha", afirmou.

O ministro destacou ainda a boa cooperação entre as autoridades portuguesas e espanholas, no âmbito dos protocolos de acordo e cooperação acerca de criminalidade transnacional e do terrorismo.

Rui Pereira revelou que está em contacto com o homólogo espanhol desde as primeiras horas da manhã para acompanhar o desenrolar do caso.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.