Autoridades francesas investigam possível rapto de criança de origem portuguesa


 

Lusa/AO online   Nacional   28 de Ago de 2017, 16:53

A procuradora de Bourgoin-Jallieu, sudeste de França, anunciou que abriu uma investigação de rapto após o desaparecimento da criança de origem portuguesa Maëlys de Araújo, de nove anos, na cidade de Pont-de-Beauvoisin, segundo a imprensa francesa.

De acordo com o jornal Le Pareisien, a criança desapareceu na madrugada de domingo, durante uma festa de casamento em Pont-de-Beauvoisin, no departamento de Isère, região de Auvergne-Rhône-Alpes.

"Dado o tempo decorrido desde o desaparecimento" da jovem Maëlys de Araújo e "os meios já mobilizados para encontrá-la, nenhuma pista de acidente ou crime está a ser descartada", declarou em comunicado a procuradora de Bourgoin-Jallieu, Dietlind Baudoin.

Nesta fase do inquérito, a hipótese de fuga já parece ter sido descartada pelas autoridades, segundo o diário francês.

Os interrogatórios aos vários convidados da festa de casamento, quase 200 pessoas, continuam a ser feitos pelas autoridades policiais.

No domingo, por volta das 03:00 (02:00 em Lisboa), os pais descobriram que Maëlys não estava no salão de festas e nem nas proximidades de onde se realizava a festa do casamento.

Segundo o jornal, hoje pela manhã vários recursos foram disponibilizados pelas autoridades na busca pela criança, cerca de 100 gendarmes, vários cães de busca, uma equipa de mergulhadores e helicópteros.

A Gendarmerie Nationale, na sua conta na rede social Twitter, apelou aos cidadãos que procurem a polícia se tiverem informações sobre o caso de Maëlys de Araújo.

O caso está nas mãos do departamento de investigações de Grenoble, apoiado pela brigada de investigações de Tour-du-Pin e pela brigada territorial de Pont-de-Bonvoisin.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.