Autocarro espanhol com 21 ativistas anti-NATO impedido de entrar em Portugal


 

Lusa / AO online   Nacional   20 de Nov de 2010, 11:53

Um autocarro espanhol com 21 ativistas anti-NATO daquele país, que tinha Lisboa como destino, foi hoje impedido de entrar em Portugal pela fronteira de Vilar Formoso, disse à Lusa fonte policial.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda adiantou que o autocarro chegou à principal fronteira terrestre portuguesa pelas 03:30 e que foi impedido de seguir viagem pelas autoridades porque os seus ocupantes, a maioria jovens, “pretendiam seguir para uma manifestação em Lisboa”.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) não autorizou a entrada do veículo em território nacional, tendo o mesmo retomado a viagem de regresso a Espanha cerca das 06:00, indicou.

O veículo foi intercetado devido ao controlo de fronteiras, que foi reposto desde as 00:00 de segunda-feira, devido à realização da cimeira da NATO em Lisboa, que termina hoje.

A mesma fonte da GNR adiantou à Lusa que pelas 07:50 de hoje também foram detidos na fronteira de Vilar Formoso dois jovens com cerca de 25 anos, que eram provenientes de França.

“O condutor, de nacionalidade francesa, foi detido por apresentar uma taxa de álcool no sangue de 2,34 gramas por litro e um ocupante, um luso-descendente, por injúrias e agressões a militares da GNR”, referiu a fonte.

A mesma fonte indicou que os detidos “vinham de França, em passeio, e dirigiam-se para a zona da Covilhã, onde o luso-descendente tem raízes familiares”, explicou.

Segundo a GNR, o ocupante do veículo de matrícula francesa “agrediu ao murro um militar”, que não teve necessidade de receber tratamento hospitalar.

Os dois detidos são hoje presentes ao juiz do Tribunal da Guarda, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação, referiu a mesma fonte.

A fronteira de Vilar Formoso é uma das principais entradas terrestres do país e o ponto de passagem de maior número de veículos de passageiros e de mercadorias, com uma média de tráfego diária de cerca de 10 mil veículos.

A medida de exceção de controlo documental até às 00:00 de domingo foi estabelecida pelo Governo português e significa a suspensão temporária do acordo de Schengen, que permite a abolição das fronteiras.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.