Autarquia de Ponta Delgada adota plano para igualdade de género

Autarquia de Ponta Delgada  adota plano para igualdade de género

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Mai de 2015, 18:34

Ponta Delgada será a primeira autarquia na ilha de S. Miguel, Açores, a implementar um plano para a igualdade de género, cidadania e não discriminação, com vista a uma "reforma civilizacional e de mentalidade", afirmou hoje o presidente daquela câmara.

O protocolo de cooperação entre a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género e o município de Ponta Delgada foi assinado hoje à tarde, no gabinete do presidente da Câmara, José Manuel Bolieiro.

Dar o exemplo “é a melhor forma pedagógica de podermos informar a nossa comunidade. É uma reforma civilizacional e de mentalidade que estamos a implementar na nossa comunidade”, afirmou José Manuel Bolieiro, que quer fazer do mérito, e não o género, o melhor patamar para alcançar a chefia e a liderança.

Na câmara e empresas municipais de Ponta Delgada trabalham 900 funcionários, sendo que muitos dos cargos de chefia estão entregues a mulheres e o executivo autárquico conta com duas mulheres como vereadoras a tempo inteiro.

“Curiosamente devo dizer que depois de fazermos um levantamento também temos uma solução equilibrada, mesmo no executivo político, na oposição”, referiu José Manuel Bolieiro, acrescentando que “não foi preciso criar quotas” no município para que existisse esse equilíbrio entre homens e mulheres.

Rosa Oliveira, da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, revelou que, nos Açores, já foram assinados seis protocolos num universo de 19 autarquias, com vista à implementação de planos municipais para a igualdade de género, cidadania e não discriminação.

Além de Ponta Delgada, também já assinaram o protocolo a Câmara da Horta, da Madalena, de Povoação, da Praia da Vitória e de Vila do Porto, mas ainda nenhuma implementou o plano municipal.

“Há muito para fazer ao nível da promoção da igualdade de género e as câmaras são parceiros fundamentais, porque conhecem os problemas das pessoas”, afirmou Rosa Oliveira.

O protocolo hoje assinado tem a duração de um ano, sendo renovável, e prevê a nomeação de um conselheiro local para a igualdade, tendo o município optado por indicar uma mulher e um homem.

“Nós somos 900 trabalhadores, 900 munícipes, 900 cidadãos que imbuídos na sua própria organização deste espírito são os melhores pedagogos para no exterior, junto das suas famílias, na sociedade da qual fazem parte fazerem formação e informação sobre esta atitude e nova mentalidade que revoluciona também o nosso próprio estádio civilizacional”, afirmou José Manuel Bolieiro.

Na terça-feira decorreu em Ponta Delgada uma ação de formação, com técnicos da autarquia e de outras instituições sociais, sobre como elaborar um plano municipal para a igualdade de género, cidadania e não discriminação.

Em Portugal, há 138 câmaras municipais que já assinaram este tipo de protocolo com a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.