Autarca de Santa Maria nos Açores critica inclusão das Lajes em escalas de aviões


 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Mar de 2015, 16:30

O presidente da Câmara de Vila do Porto, afirmou esta setxa-feira que os marienses sentem que "foram traídos" face ao pedido do Governo dos Açores para que ocorram escalas técnicas noturnas nos aeroportos das Lajes e Santa Maria.

 

“O Aeroporto de Santa Maria como referência única para as escalas técnicas nos Açores foi bandeira na campanha eleitoral para a eleição deste Governo Regional. Foi estandarte dos deputados do PS de Santa Maria”, afirmou o autarca social-democrata Carlos Rodrigues num comunicado enviado à Lusa.

O Governo Regional dos Açores anunciou hoje que pediu ao Ministério da Defesa e à ANA para tomarem as "medidas necessárias" que permitam escalas técnicas noturnas de voos nos aeroportos das Lajes e de Santa Maria.

O secretário regional dos Transportes, Vítor Fraga, enviou ofícios com esse pedido ao Ministério da Defesa Nacional, que gere o aeroporto militar das Lajes, na Terceira, e à direção da ANA-Aeroportos, a empresa que gere o aeroporto de Santa Maria, a que a agência Lusa teve acesso.

O autarca mariense questionou mesmo se o atual secretário regional dos Transportes alguma vez tinha escrito à ANA para incentivar as escalas no aeroporto de Santa Maria ou se se disponibilizou para cooperar no incentivo das mesmas.

A solicitação do executivo açoriano tem em consideração a emissão pela NAV Portugal (prestador de serviço de tráfego aéreo), na semana passada, de duas NOTAM (informação aeronáutica) que levantam as restrições de voo entre a meia-noite e as 06:00 nestes dois aeroportos do arquipélago, em vigor desde 2013 no âmbito da lei do ruído.

A decisão do Governo dos Açores surge na sequência do plano de revitalização económica da ilha Terceira, apresentado em janeiro e que contempla um conjunto de medidas para tentar minimizar o impacto da redução do contingente dos Estados Unidos na base das Lajes.

“Os marienses, de uma forma geral, têm sido solidários com a Terceira e com algumas medidas tomadas pelo Governo Regional”, disse Carlos Rodrigues, acrescentando que a população da ilha “sabe bem o que custa”, porque “já sentiu na pele decisões políticas erradas e o desinvestimento do concessionário da exploração aeroportuária”.

Segundo disse o autarca nos últimos dez anos foram direta e indiretamente extintos no único aeroporto da ilha mais de 100 postos de trabalho.

Em comunicado Carlos Rodrigues disse, ainda, que os marienses “não se esqueceram que durante o mandato do presidente Carlos Cesar foi assumido pelo Governo Regional o pagamento dos custos da manutenção da abertura noturna do aeroporto à ANA”, mas tal “nunca foi efetuado, o que levou ao encerramento noturno por parte da ANA e à cobrança de taxas para reabertura”.

“Vamos reunir forças o em conjunto tomar decisões, porque estou convencido que a coisa não fica por aqui. Sempre me ouviram dizer que quando tivéssemos de lutar contra o peso eleitoral ficaríamos a perder largamente”, afirmou Carlos Rodrigues.

Em fevereiro o Conselho de Ilha de Santa Maria decidiu enviar um documento ao presidente do Governo dos Açores em que pede para o aeroporto local continuar a ser o aeroporto de referência para as escalas técnicas na região.

No documento enviado a Vasco Cordeiro os conselheiros pediram para o aeroporto de Santa Maria continuar a ser o aeroporto de referência nos Açores para as escalas técnicas, mantendo aquilo que tem sido dito pelas autoridades regionais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.