Austrália declara sequestro do café de Sydney como "ato terrorista"

Austrália declara sequestro do café de Sydney como "ato terrorista"

 

Lusa/AO Online   Internacional   15 de Jan de 2015, 05:52

O Governo da Austrália declarou a tomada de reféns num café de Sydney, que terminou com a morte de dois civis e do autor do sequestro, como um "ato terrorista".

O governo adotou esta medida para garantir a compensação, por parte das seguradoras, às vítimas e negócios afetados, disse o chefe do Tesouro da Austrália, Joe Hockey, em declarações citadas pela ABC.

Segundo o responsável, os pedidos realizados pelos negócios afetados pelo incidente ascendem a 492.500 dólares (418.130 euros).

O autoproclamado clérigo muçulmano de origem iraniana Man Haron Monis tomou o controlo do café Lindt, em pleno coração financeiro de Sydney, com 18 pessoas como reféns durante 16 horas, no passado dia 15 de dezembro.

As autoridades iniciaram o assalto para libertar os reféns depois de terem sido ouvidos tiros a partir do interior do café.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.