Política

Aumento do horário de trabalho agrava "incerteza" quanto ao desemprego

Aumento do horário de trabalho agrava "incerteza" quanto ao desemprego

 

Lusa/AO online   Regional   25 de Nov de 2011, 10:23

O director do Trabalho e Qualificação profissional, Rui Bettencourt, apontou o aumento do horário nas empresas privadas com um dos factores de agravamento das “incertezas” sobre a evolução do desemprego nas ilhas.
“O facto de se passar a trabalhar mais meia hora por dia faz com que 15 trabalhadores trabalhem por 16, podendo haver a tentação de algumas empresas de dispensarem o activo ‘a mais’”, advertiu Rui Bettencourt.

O director regional do Trabalho indicou o corte no subsídio de Natal como outra das medidas adoptadas pelo Governo da República com efeitos imediatos no mercado de trabalho das ilhas.

“Este ano vamos ter uma dificuldade particular porque vai haver menos 20 milhões de euros no comércio” no arquipélago, o que “terá consequências”, adiantou Rui Bettencourt.

Em declarações à agência Lusa num intervalo da região da Assembleia das Regiões da Europa, a decorrer em Ponta Delgada, o responsável do Executivo açoriano insistiu também em que a “incerteza” sobre a evolução do mercado de trabalho se manterá “enquanto não houver uma solução na origem”.

“Temos um problema grave de financiamento de alguns sectores da nossa economia e de retracção da economia que são consequências da situação nacional e europeia, tendo, por isso, de haver uma solução primeiro na origem”, alegou.

Segundo o Inquérito ao Emprego do INE, a taxa desemprego sofreu um agravamento de 1,9 pontos percentuais nos Açores entre o segundo e o terceiro trimestres deste ano, fixando-se nos 11,6 por cento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.