Vulcão

Atravessar nuvem de cinzas vulcânicas desliga motores dos aviões


 

Lusa / AO online   Nacional   15 de Abr de 2010, 11:50

O "encontro" com uma nuvem de cinzas vulcânicas desliga os motores a um avião comercial e transforma-o num planador, o que torna estas poeiras um "perigo para a aviação", explicou à Lusa um piloto português.
José Cruz dos Santos, comandante, vice-presidente da Associação dos Pilotos Portugueses de Linha Aérea (APPLA) e responsável pela área de segurança aérea desta entidade, sublinhou que é essencial que as entidades meteorológicas monitorizem estas nuvens e avisem atempadamente os centros de controlo aéreo, uma vez que é muito difícil detectá-las em voo.

O radar meteorológico dos aviões "deterá a humidade que existe dentro das nuvens, mas estas são secas, por isso não têm grande reflexão em termos de radar", explicou José Cruz dos Santos, a propósito da nuvem de cinzas libertadas por um vulcão na Islândia que obrigou hoje ao encerramento do espaço aéreo de vários países europeus.

"É muito difícil detectar que se está a entrar dentro de uma nuvem de cinza vulcânica, parece uma nuvem normal", frisou, adiantando que, ao passar pelo meio da poeira vulcânica, uma "das primeiras sensações" é a "formação de fogo de Santelmo", uma descarga eletroluminescente que pode ter o aspecto de uma faísca dupla ou tripla, que produz "raios ao longo dos vidros dos aviões".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.