Atlântico Norte vai arrefecer fortemente este século


 

Lusa/Açoriano Oriental   Ciência   15 de Fev de 2017, 16:53

O Atlântico Norte deverá sofrer um forte arrefecimento durante este século, mais rápido do que previam os modelos informáticos existentes.

Num trabalho publicado na revista Nature Communications, refere-se que "a possibilidade de um arrefecimento rápido do Atlântico Norte durante o século XXI está próxima dos 50 por cento".

Com as mudanças nas correntes marítimas, incluindo a Corrente do Golfo, que tempera o clima entre a costa do estado norte-americano da Florida e as costas europeias, poderá ocorrer "uma perturbação climática sem precedentes", dizem os investigadores das universidades de Bordéus, em França, e de Southampton, no Reino Unido.

A estimativa mais recente do grupo de peritos em evolução climática, que avaliaram os estudos existentes até 2013, era de que o arrefecimento aconteceria progressivamente e a longo prazo.

Os autores da pesquisa agora publicada usaram modelos informáticos que sugerem um arrefecimento médio de 02 a 03 graus no mar de Labrador, entre o Canadá e a Gronelândia, o que provocaria "fortes baixas de temperatura nas regiões costeiras do Atlântico Norte".

Durante o inverno, as suas águas arrefecem muito, tornam-se mais densas e precipitam-se para o fundo, fazendo com que as águas mais profundas e mais quentes venham à superfície, um processo que será alterado pelo aquecimento global.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.