Atlantic Gateway "certa" que nova administração da TAP terá"competências necessárias"

Economia /
Avião A330 da TAP com nome de Capitão-Donatário de Angra do Heroísmo, João Vaz Côrte-Real

678 visualizações   

A Atlantic Gateway afirmou-se "certa" que o novo conselho de administração da TAP, a eleger dia 30, terá "as competências necessárias" e esclareceu que continuará a ser o consórcio a nomear a gestão executiva da companhia.
 

“Estamos certos de que este novo conselho de administração terá as competências necessárias e estará à altura dos desafios que terá pela frente, dada a experiência empresarial e complementaridade dos seus membros”, refere a Atlantic Gateway em comunicado, esclarecendo que será este consórcio que “continuará a nomear a gestão executiva da TAP, que é hoje uma empresa privatizada e privada", pretendendo "manter o ritmo de transformação da empresa que está em curso, única forma a garantir a sua sustentabilidade e crescimento”.

Segundo salienta, o plano de ‘turnarround’ da TAP que o consórcio tem vindo a implementar “com sucesso” desde a conclusão da privatização da companhia passa por recolocá-la “numa rota de crescimento, o que já foi conseguido; por ter investido na empresa, capitalizando-a; por ter criado novas rotas, entre outras, para a América do Norte; pela melhoria do seu produto com um plano de compra de novos aviões e de renovação dos interiores dos atuais; e pela redução da sua dívida, processo a que também já deu início”.

“A TAP precisa de estabilidade e de um conselho de administração coeso que apoie esta estratégia de crescimento e sustentabilidade que temos vindo a conseguir”, sustenta a Atlantic Gateway, de Humberto Pedrosa e David Neeleman.

O Expresso avança o nome de Miguel Frasquilho, ex-presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo (AICEP), como um dos seis elementos indicados pelo Estado para o conselho de administração da TAP, cabendo-lhe o cargo de ‘chairman’ (presidente).

O jornal aponta ainda como novos membros do conselho de administração da companhia, por indicação do Estado, a presidente do conselho de administração de Serralves, Ana Pinho, e o advogado Diogo Lacerda Machado.

No domingo, na SIC, o comentador Luís Marques Mendes revelou que Esmeralda Dourado, administradora da SAG, Bernardo Trindade, ex-secretário de Estado do Turismo e António Gomes de Menezes, ex-presidente da companhia aérea SATA, serão os outros três administradores não-executivos da TAP indicados pelo Estado.

Tanto os partidos da oposição, PSD e CDS-PP, como aqueles que suportam o Governo socialista no parlamento, PCP e Bloco de Esquerda, contestaram os nomes indicados pelo Governo para a administração da TAP, sobretudo a escolha do antigo secretário de Estado socialista e advogado Diogo Lacerda Machado.

O Primeiro-Ministro, António Costa, disse sábado em Buenos Aires, que a decisão para a nomeação dos representantes do Estado no Conselho de Administração da TAP "está tomada" e que, pela sua parte, "não há polémica nenhuma".