Assunção Esteves recorda conjugação das qualidades de mulher e cidadã


 

Lusa/AO Online   Nacional   7 de Jul de 2015, 11:12

A presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, manifestou hoje a sua "profunda tristeza" pela morte de Maria de Jesus Barroso, sublinhando que conjugou na sua vida, de "modo ímpar", as qualidades de mulher e de cidadã.

"Maria Barroso lutou em todas as frentes pela dignidade humana e a justiça no mundo. A sua vida conjugou, de um modo ímpar, as qualidades de mulher e de cidadã. Entre o Colégio Moderno e a educação, e a luta no espaço público feita de risco e de dor, Maria Barroso deu um forte impulso ao nosso caminho colectivo de emancipação", refere Assunção Esteves, numa mensagem de condolências.

Assunção Esteves sublinha que Maria Barroso "esteve sempre presente nos momentos decisivos da nossa democracia, e também nos projectos e encontros do seu quotidiano".

"E porque nunca nos deixou, nunca nos deixará", concluiu.

Maria de Jesus Barroso, presidente da Fundação Pro Dignitate, fundadora do PS e mulher do ex-Presidente da República Mário Soares, morreu hoje, aos 90 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internada em estado grave desde 26 de junho, na sequência de uma queda, que lhe provocou um traumatismo intracraniano.

O corpo de Maria Barroso vai estar em câmara ardente no Colégio Moderno, em Lisboa, a partir das 18:00 de hoje, realizando-se o funeral na quarta-feira para o Cemitério dos Prazeres, anunciou a família.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a família informa que o funeral seguirá para o Cemitério dos Prazeres após a missa de corpo presente, que terá lugar às 10:00 na Igreja do Campo Grande.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.