Associações alertam taxistas para proibição total de fumo nas viaturas


 

Lusa/Ao online   Nacional   12 de Dez de 2007, 10:32

Os taxistas, uma das classes profissionais mais fumadoras, vão começar em breve a ser alertados para a proibição total de fumar nos veículos a partir de Janeiro.
O presidente da ANTRAL, Florêncio de Almeida, disse à agência Lusa que em breve irá começar a distribuir gratuitamente aos seus associados 10.800 autocolantes, alertando-os para a proibição de fumar no interior dos táxis.

    "Temos ainda vindo a alertar os nosso associados, em reuniões distritais, para a entrada em vigor a 01 de Janeiro da legislação" sobre o consumo do tabaco, acrescentou.

    Florêncio Almeida, que aplaude a proibição total de fumar nos táxis, afirma que até agora não chegaram à associação reacções dos motoristas em relação às novas regras sobre o tabaco nem dúvidas sobre a sua aplicação.

    "Não temos tido reacções, nem positivas, nem negativas", disse à Lusa, admitindo que apesar de o tabaco já ser proibido na generalidade dos transportes públicos, há passageiros e motoristas que fumam dentro dos táxis.

    Florêncio de Almeida estima que entre 30 a 40 por cento dos associados da ANTRAL sejam fumadores, mas acredita que a maioria fuma fora do carro.

    Por seu lado, Carlos Ramos, da Federação Portuguesa do Táxi, adiantou à Lusa que a organização já comprou mil dísticos, que serão disponibilizados aos taxistas a um preço médio de 2,5 euros.

    Relativamente à entrada em vigor da nova lei do tabaco, Carlos Ramos afirma que as principais dúvidas dos taxistas se prendem com o facto de saberem se podem ou não fumar dentro dos carros quando estão parados na praça ou viajam sem clientes.

    De acordo com o responsável da Federação Portuguesa do Táxi, esta tem sido a questão mais "difícil de entender" por parte dos taxistas fumadores.

    Para esclarecer este ponto, vai ser publicado na próxima edição da revista da federação um texto onde explica que "a proibição de fumar abrange não só os passageiros mas também os motoristas ainda que o táxi esteja vazio, imobilizado a aguardar passageiro, ou ainda em espera de passageiro na praça de táxi ou outro local".

    No texto, os taxistas são ainda alertados para a obrigatoriedade de colocar no carro um dístico com a informação da proibição de fumar e para os valores das multas, que oscilam entre os 50 e os 750 euros.

    A partir de Janeiro, passará ainda a fazer parte das acções de formação da federação um módulo sobre a questão do tabaco, estando ainda a ser equacionada a distribuição de panfletos a alertar passageiros e taxistas para a proibição de fumar.

    Vários taxistas fumadores e não fumadores contactados pela agência Lusa mostram-se favoráveis à proibição total de fumar nos carros.

    "Parece-me bem que seja proibido fumar, porque o cliente que entra no carro não tem que estar sujeito ao fumo", disse um taxista fumador, adiantando que com a entrada em vigor da nova lei terá que sair do carro puxar do cigarro.

    "Deixar de fumar é outra hipótese", disse outro motorista ouvido pela Lusa.

    Conscientes da proibição e das coimas em que incorrem, os taxistas ouvidos pela Lusa acreditam que não será difícil convencer "os poucos clientes que ainda pedem para fumar" a deixar de fazê-lo.

    Os taxistas contam-se entre os profissionais que mais fumam, de acordo com um estudo de 2005 da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) sobre as profissões mais stressantes e o relacionamento destas com o tabaco.

    O objectivo era avaliar o grau de conhecimento dos fumadores sobre a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, uma patologia que depende os hábitos tabágicos.

    A investigação baseou-se em 402 entrevistas realizadas a fumadores e ex-fumadores de profissões consideradas de elevado nível de stress: gestores, profissionais de saúde, publicitários e relações públicas, jornalistas e fotojornalistas, controladores aéreos, correctores de bolsa, trabalhadores dos serviços de protecção e segurança e taxistas.

    Os corretores de bolsa, os taxistas e os profissionais de segurança foram os que revelaram maiores níveis de dependência tabágica.

    Por seu lado, os jornalistas, os corretores de bolsa e os taxistas são os que mais fumam habitualmente no trabalho, com a justificação de que o cigarro gere o stress e ajuda a relaxar.

    A lei do tabaco, que entra em vigor a 01 de Janeiro, proíbe, no sector dos transportes, o fumo nos veículos afectos aos transportes públicos urbanos, suburbanos e interurbanos de passageiros, bem como nos rodoviários, ferroviários, aéreos, marítimos e fluviais, nos serviços expressos, turísticos e de aluguer, nos táxis, ambulâncias, veículos de transporte de doentes e teleféricos.

    É ainda proibido fumar nos aeroportos, estações ferroviárias e rodoviárias de passageiros, nas gares marítimas e fluviais e instalações do metropolitano afectas ao público.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.