Associação propõe solução "mais barata" para tratar lixo na ilha de São Miguel

Associação propõe solução "mais barata" para tratar lixo na ilha de São Miguel

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Dez de 2016, 10:29

A ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável defendeu hoje a instalação de uma unidade de Tratamento Mecânico e Biológico (TMB) na ilha de São Miguel, Açores, alegando ser mais barata que o projeto da incineração de resíduos anunciado.

“Permitiria reciclar 50% dos resíduos que as pessoas não separam e depois só incinerar a restante fração”, afirmou à agência Lusa o responsável pela associação, Rui Berkemeier, acrescentando que esta solução iria, ainda, poupar 20 milhões de euros, criar mais de 20 postos de trabalho, reciclar 30 mil toneladas de resíduos e evitar a emissão de seis mil toneladas de CO2.

A presidente da Assembleia Intermunicipal da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel (AMISM) anunciou, a 14 de dezembro, que o organismo aprovou, por unanimidade, avançar com a construção de uma incineradora de resíduos, orçada em mais de 60 milhões de euros.

Este processo tem motivado o descontentamento de várias associações ambientalistas e partidos políticos, bem como dúvidas entre os municípios da ilha de São Miguel ao longo do tempo.

A ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável apresentou a sua proposta formalmente, na terça-feira, através de ofícios enviados à Associação de Municípios da Ilha de São Miguel, Governo Regional e partidos com assento no parlamento regional.

Considerado que, apesar da decisão já anunciada, “ainda há tempo para a alterar”, Rui Berkemeier desafiou as entidades competentes a reformularem o projeto de incineração, no sentido, de, no mínimo, incluírem a montante do incinerador uma unidade de TMB para todos os resíduos indiferenciados.

“Não pomos em causa a incineradora de São Miguel, o que pomos em causa é a sua dimensão, que poderia ser reduzida para metade com a solução por nós apresentada”, referiu o responsável, acrescentando que a TMB poderia receber as 60 mil toneladas de resíduos urbanos indiferenciados gerados na maior ilha dos Açores, conseguindo reciclar 30 mil toneladas.

Segundo Rui Berkemeier, a TMB é uma solução tecnológica, através da qual os resíduos urbanos indiferenciados sofrem, inicialmente, um tratamento mecânico que os separa em orgânicos, recicláveis e rejeitados. Os primeiros são encaminhados para um tratamento biológico, os segundos são reciclados e só os rejeitados são incinerados.

De acordo com esta associação, criada no final de 2015 e com 900 associados, em Portugal existem cerca de 20 unidades de TMB, incluindo algumas nos Açores.

Nos Açores já existe uma incineradora em funcionamento, na ilha Terceira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.