Associação Ilhas em Rede pretende dar destaque a mulheres pescadoras


 

Lusa/AO On Line   Regional   7 de Fev de 2010, 08:35

A Associação de Mulheres na Pesca nos Açores – Ilhas em Rede foi criada em 2008 para “dar visibilidade” ao trabalho das mulheres que exercem esta profissão no arquipélago e mostrar não se trata de um trabalho apenas para homens.

“A associação foi criada porque a actividade da mulher na pesca não é muito visível, apesar de existirem mulheres pescadoras, armadoras e a preparar as artes”, afirmou Fátima Garcia, presidente da instituição, em declarações à Lusa.

Um estudo realizado há cerca de dois anos pela UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta) identificou 190 mulheres a trabalhar na pesca nos Açores, nas ilhas de S. Miguel, Terceira, Pico, Graciosa, S. Jorge, Flores, Graciosa e Santa Maria.

Estas mulheres pescadoras, além de irem regularmente para o mar, dedicam-se ainda à preparação das artes (gamelas, cofres, redes), ao trabalho logístico (carga e descarga do peixe, gasolina, gelo, limpeza e venda do peixe do barco próprio) e ainda a actividades administrativas em terra.

"Nem sempre as mulheres pescadoras são reconhecidas pelos homens como trabalhadoras da pesca", salientou Fátima Garcia, que insistiu na necessidade de se mudarem as mentalidades nesta área.

A presidente da Associação de Mulheres de Pesca nos Açores reconheceu, no entanto, que já é "visível" uma alteração no sentido de reconhecer o papel das mulheres, apesar de ainda existirem "algumas dificuldades", por ser uma profissão que é considerada "tipicamente masculina".

As dificuldades que enfrentam as mulheres pescadoras vão estar em debate, a 25 de fevereiro, no Faial, na assembleia geral da associação, onde também se analisará o problema da formação destas profissionais da pesca.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.