Associação exige que paragem de pesca do goraz nos Açores seja financeiramente compensada

Associação exige que paragem de pesca do goraz nos Açores seja financeiramente compensada

 

Lusa/AO Online   Regional   29 de Dez de 2016, 16:10

A Cooperativa Porto de Abrigo - Organização de Produtores de Pesca exigiu hoje que a paragem na captura do goraz nos Açores seja "financeiramente compensada".

 

Em comunicado hoje emitido, a Porto de Abrigo indica que foram publicadas duas portarias na terça-feira relativamente à pesca do goraz: uma sobre a repartição da quota do goraz pelas diferentes ilhas dos Açores e outra sobre o aumento do tamanho mínimo do goraz para 330 milímetros ou 550 gramas.

A associação começa por lamentar não ter tido "qualquer resposta" ao seu pedido de reunião com o Governo sobre esta matéria e destaca que "a pesca açoriana vive a sua maior crise de sempre", uma vez que, em 2016, registou-se a captura "mais baixa dos últimos 42 anos" para o conjunto das espécies.

Esta situação fez com que os rendimentos médios dos pescadores sejam "muito inferiores a metade do salário mínimo regional", defendendo, por isso, que "esta paragem, justificada por razões de defeso, tem de ser financeiramente apoiada".

A Porto de Abrigo refere ainda que vai "promover imediatamente reuniões nos portos para analisar a situação e espera que o Secretário Regional do Mar aprofunde o caminho do diálogo e mudança, iniciada pelo seu antecessor".

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.