Associação de imigrantes nos Açores quer reativar prémio D. Djuta


 

Lusa/AO online   Regional   15 de Jun de 2015, 16:48

A Associação de Imigrantes dos Açores (AIPA) tenciona homenagear D. Djuta Ben-David, uma das primeiras imigrantes cabo-verdianas no arquipélago, que morreu no domingo em Ponta Delgada e era considerada um "exemplo de integração" na sociedade local.

 "Vamos seguramente tentar fazer alguma coisa ou retomar o prémio [de jornalismo com o nome de D. Djuta Ben-David] ou outro tipo de iniciativa que possa, de certo modo, prestar homenagem a D. Djuta", afirmou Paulo Mendes, presidente da associação manifestando pesar pela morte de uma das primeiras sócias honorárias da AIPA.

Justina Silva (mais conhecida por D. Djuta) nasceu no Mindelo, ilha de S. Vicente, Cabo Verde, mas imigrou com o marido, Henrique Ben-David, antigo treinador da equipa de futebol do Santa Clara, para a ilha de S. Miguel, em meados da década de 50 do século XX, onde viveu até morrer.

Para Paulo Mendes, D. Djuta Ben-David "representou e representa para a comunidade cabo-verdiana a ligação entre os Açores e Cabo Verde" e é "um exemplo de integração" na sociedade açoriana, pela forma como "conseguiu ganhar o respeito e admiração de todas as pessoas".

O prémio de jornalismo D. Djuta Ben-David, criado pela AIPA em parceria com o Governo dos Açores, foi atribuído pela primeira vez em 2006, para distinguir a melhor reportagem sobre a imigração no arquipélago, mas acabou por ser interrompido após quatro edições.

O presidente da AIPA adiantou, ainda, que estava a ser preparada uma homenagem antes do falecimento de D. Djuta, que sofria de Alzheimer, com a presença do músico cabo-verdiano Tito Paris, dado que "na família de D. Djuta, a música é tão natural como respirar".

D. Djuta começou a tocar e a cantar aos dez anos. Aos vinte, o irmão Adolfo chamou-a para Lisboa, onde se tornou cantora profissional e formaram o duo "Irmãos Silva", que atuou em Portugal durante seis anos, cantando música cabo-verdiana, ainda pouco conhecida e apreciada na época, e também brasileira.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.