Associação da diáspora discute ensino do português

Associação da diáspora discute ensino do português

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   24 de Mar de 2017, 17:35

A apresentação de projetos, angariação de fundos e ensino de português na diáspora foram alguns dos principais pontos da vinda a Portugal de membros da associação Cap Magellan, disse fonte do conselho de administração da organização.

“Nesta nossa viagem a Portugal, que é quase uma tradição, tivemos a oportunidade de apresentar o nosso plano de atividades para 2017 e também procurar apoio financeiro para os nossos projetos”, disse à Lusa Hermano Sanches Ruivo, que é também um dos fundadores da associação.

A Cap Magellan é uma associação de jovens lusodescendentes fundada em Paris, a 24 de novembro de 1991.

Os membros da associação, que estiveram em Portugal entre terça-feira e hoje, reuniram com várias autoridades portugueses, nomeadamente no Ministério da Educação e em algumas secretarias de Estado, entre as quais a da Cultura, Juventude, Turismo, da Cidadania e Igualdade e das Comunidades Portuguesas.

Entre os 21 encontros realizados, segundo Sanches Ruivo, estivem em contacto com outras associações e entidades portuguesas, como com os responsáveis pelo projeto “Ciência Viva”, uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

“Estes encontros foram importantes para apresentar os nossos projetos e buscar apoio, mas também para dar a conhecer, de uma forma mais aprofundada, as realidades das comunidades portuguesas”, referiu ainda Sanches Ruivo, radicado há décadas em França e que é atualmente vereador da Câmara de Paris.

Sanches Ruivo também disse que foi abordada nos encontros a importância da ampliação do ensino do português em França e também do francês em Portugal e, ainda, a necessidade das cidades, seja da França, de Portugal ou de outros países, envolverem-se em projetos conjuntos, no qual se poderia utilizar as redes de lusodescendentes e lusófonos no mundo.

Em janeiro, a Cap Magellan organizou a primeira edição dos "Estados Gerais da Lusodescendência", em Paris, que segundo a associação pretendeu ser uma chamada de atenção para os franceses mas também para os portugueses para que a presença lusófona seja mais visível em França.

Os "Estados Gerais da Lusodescendência", criada no âmbito do 25.º aniversário da associação, também quer promover a redação de um questionário sobre o apoio à lusofonia em França dirigido aos candidatos às eleições presidenciais e legislativas francesas e aos deputados portugueses.

A iniciativa apresentou uma rede com uma centena de estruturas associativas ligadas ao ensino da língua portuguesa em França e convencer estas estruturas a assinar uma carta de compromisso para acolher campanhas de promoção do ensino da cultura e da língua portuguesas e campanhas de apelo ao recenseamento e de apelo ao voto.

A associação Cap Magellan coorganiza, anualmente, a gala de aniversário da implantação da República Portuguesa, na Câmara Municipal de Paris, organiza fóruns de emprego, concertos, campanhas de segurança rodoviárias para os emigrantes, campanhas de sensibilização para o voto, publicando ainda a revista cultural CAPMag e atribui bolsas de estudo, entre outras atividades.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.