Greve geral

Assis discorda das centrais sindicais mas respeita decisão


 

Lusa   Economia   7 de Out de 2010, 18:13

O líder parlamentar do PS afirmou esta quinta-feira respeitar a decisão da UGT de realizar em conjunto com a CGTP-IN uma greve geral a 24 de Novembro, mas defendeu que o caminho do país passa pela concertação social.
As declarações de Francisco Assis foram proferidas após ser confrontado pelos jornalistas com a decisão da CGTP-IN e UGT de realizarem uma greve geral conjunta a 24 de Novembro contra as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo.

“Não fico contente com essa notícia, porque entendo que neste quadro tão difícil o caminho do país deve passar mais pela concertação social e menos pela confrontação social”, reagiu o líder da bancada socialista.

No entanto, Francisco Assis salientou que a greve “é um direito indiscutível das organizações sindicais”.

“E eu respeito essa opção”, acrescentou.

Esta será a segunda greve geral marcada pela CGTP e a UGT. A primeira realizou-se em 1988, contra o pacote laboral do governo de Cavaco Silva.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.