Assembleia Municipal de Angra pede melhoria de acessibilidades à ilha Terceira

Assembleia Municipal de Angra pede melhoria de acessibilidades à ilha Terceira

 

Lusa/AO online   Regional   11 de Mai de 2018, 14:03

A Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo aprovou esta sexta-feira, por unanimidade, um documento de pronúncia por iniciativa própria em que reivindica a melhoria de acessibilidades por via aérea e marítima à ilha Terceira.

“A Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo entende ter chegado o momento de, com a máxima urgência, uma vez que os prejuízos para as pessoas e para a economia da ilha Terceira, e por consequência do concelho de Angra do Heroísmo, a isso obrigam, pronunciar-se acerca do seguinte conjunto de situações, as quais exigem, por parte do Governo Regional dos Açores, a concretização imediata dos compromissos há muito assumidos para com a ilha Terceira”, pode ler-se no documento.

O texto, aprovado numa sessão extraordinária que teve como único ponto a sua discussão e aprovação, foi elaborado pelos três partidos com representação na assembleia municipal: PS, PSD e CDS-PP.

O PS, em maioria na Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo, é também o partido que suporta o Governo Regional dos Açores, a quem são dirigidas críticas e reivindicações.

Uma das principais críticas vai para as ligações aéreas com o exterior asseguradas pela empresa pública Azores Airlines.

“Não se entende nem se aceita que a Azores Airlines tenha reduzido as ligações entre Terceira e Lisboa para apenas três voos por semana, para depois voar para Frankfurt, e suprimido o voo Terceira-Porto para voar para Cabo Verde, contrariando assim o reforço de atividade na ilha Terceira como é há muito defendido”, pode ler-se no documento.

A Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo exige, por isso, que a Azores Airlines recupere a ligação direta semanal entre a Terceira e o Porto, durante todo o ano, e que reforce a sua operação para a ilha.

Também as ligações marítimas suscitaram críticas dos deputados, que reivindicaram a “construção imediata” de uma rampa roll-on/roll-off (ro-ro) e de uma gare de passageiros no Porto das Pipas, na cidade, bem como a retoma das ligações marítimas de passageiros e viaturas entre Angra do Heroísmo e Calheta (São Jorge), interrompidas na sequência de um acidente com um dos navios que assegurava essa ligação, e a extensão dessa ligação à ilha Graciosa.

“Não se entende e não se aceita esta inexplicável demora na construção desta estrutura, enquanto se anunciam publicamente novas obras noutros portos menos necessitados de infraestruturas complementares às muitas já lá existentes”, salientam no documento.

Entre as principais reivindicações está também a melhoria dos transportes de carga, por via aérea e marítima, com a construção de um terminal de cargas no aeroporto das Lajes e a disponibilização de um avião cargueiro inter-ilhas.

“Manifestamos a nossa preocupação pela demora na construção de um novo terminal de carga na aerogare civil do aeroporto das Lajes, com manifesto prejuízo para os exportadores e comerciantes terceirenses e para o desenvolvimento económico da nossa ilha”, frisam.

Os deputados municipais de Angra do Heroísmo defendem ainda que o Governo Regional deve “rever o atual modelo de transporte marítimo de mercadorias” entre os Açores e o continente português e dentro do arquipélago, para além de equipar os portos das ilhas do grupo central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) “com as gruas e equipamentos necessários ao eficiente manuseamento de cargas”.

O documento exige, por outro lado, ao Governo da República que potencie melhorias nas condições do concurso de concessão transporte de carga aérea entre o continente e as ilhas (o primeiro concurso ficou deserto e o segundo foi anulado), que exija “prazos mais curtos para a entrega de carga postal em todas as ilhas” e que crie condições, com os Correios de Portugal (CTT), para a “retoma do desalfandegamento postal da ilha Terceira”.

Os deputados municipais defendem a “rápida concretização” de uma plataforma logística internacional no Porto da Praia da Vitória, onde também querem que seja acelerada a implementação de um posto de abastecimento de Gás Natural Liquefeito.

O documento reivindica ainda que os executivos nacional e regional obtenham as autorizações necessárias junto da Força Aérea norte-americana para que possa avançar a construção de um cais de cruzeiros no molhe do Porto da Praia da Vitória, atualmente utilizado pelos militares dos Estados Unidos.

Também a Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo, que se reuniu com a secretária regional dos Transportes na quinta-feira, emitiu um comunicado reivindicando a melhoria dos transportes de passageiros e de cargas na ilha Terceira.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.