Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo defende obras urgentes nas Lajes

Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo defende obras urgentes nas Lajes

 

LUSA/AO online   Economia   17 de Set de 2015, 16:13

A Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo, na Terceira, nos Açores, aprovou hoje, por unanimidade, uma recomendação do CDS-PP a defender a urgente ampliação da placa de estacionamento de aviões nas Lajes e a construção do terminal de cargas

Uma nota do partido adianta que o objetivo é que “sejam alertadas as autoridades regionais e nacionais competentes para a urgência e necessidade de se proceder a investimentos públicos conducentes à concretização do aumento da placa de estacionamento de aeronaves civis e comerciais na Aerogare Civil das Lajes, bem como a construção do novo terminal de cargas da mesma infraestrutura aeroportuária”, localizada no concelho da Praia da Vitória (o outro município da ilha).

Citado no comunicado, o deputado municipal Pedro Ferreira alerta para os "constrangimentos" registados "praticamente todos os dias" na operação de aeronaves civis e comerciais na aerogare civil e alega que "a Força Aérea Portuguesa continua a fazer gala em colocar dificuldades às companhias aéreas que voam para a Terceira e a sujeitar os passageiros" a permanecerem "tempo excessivo dentro dos aviões à espera de autorização para desembarcar ou tempo excessivo à espera para embarcar num voo que acaba significativamente atrasado”.

Os populares consideram que aqueles investimentos são essenciais ao desenvolvimento económico da ilha Terceira, em particular no âmbito do processo de redução do contingente militar norte-americano da base das Lajes, pois “são enormes os impactos socioeconómicos para a ilha”.

Os deputados municipais do CDS-PP (Félix Rodrigues, Pedro Ferreira, Michéle Aguiar e Mário Silva) lembram situações recentes com aviões provenientes de Lisboa, da SATA Internacional e da TAP Portugal, que estiveram “parados no aeroporto das Lajes, com os motores a trabalhar e os passageiros no seu interior”, a aguardar autorização de estacionamento numa placa militar, devido à sobrelotação da placa para aviões civis.

“O que é preciso, urgentemente, é acabar com os bloqueios impostos ao desenvolvimento económico da ilha Terceira”, consideram, deixando críticas à Força Aérea e às governações socialistas regionais.

Os populares sublinham que “ao longo dos últimos anos de governação socialista regional têm sido prometidas, anunciadas e até orçamentadas verbas para a concretização das obras” que reivindicam na base militar, por onde passam os voos comerciais que viajam de e para a Terceira.

A aprovação da proposta pela Assembleia Municipal será comunicada ao presidente do Governo Regional dos Açores, à presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, aos grupos e representações parlamentares e à presidência do Conselho de Ministros".

Recentemente, o Governo Regional e a oposição têm criticado casos de demoras no estacionamento de aviões comerciais na base da ilha Terceira e o executivo enviou uma carta ao comandante da Zona Aérea dos Açores considerando a situação “intolerável”.

Na sequência da missiva, a Força Aérea alegou a ausência momentânea de condições de operação e, questionada pelos jornalistas, a secretária de Estado da Defesa Nacional, Berta Cabral disse não haver constrangimentos técnicos ou operacionais na base para receber voos civis.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.